(Fonte da imagem: Reprodução / Wikimedia Commons)

Que a carne vermelha não é o mais saudável dos alimentos, todo mundo já sabe. Afinal, basta olhar os índices de problemas cardiovasculares em pessoas cuja dieta se resume basicamente a churrasco e derivados para perceber isso. No entanto, você sabe o quão prejudicial esse tipo de alimento pode ser ao seu organismo?

Uma pesquisa realizada pela Harvard School of Public Health comprovou aquilo que muita gente já imaginava. Segundo o estudo, o consumo regular desse tipo de alimento aumenta consideravelmente as chances de uma pessoa desenvolver problemas cardíacos e até mesmo câncer.

Para isso, foram analisadas mais de 120.000 pessoas ao longo de 28 anos, e o resultado é impressionante: se você ingerir doses diárias de carne processada — como salsicha e bacon, por exemplo —, o índice de mortalidade aumenta em 20%. Já com a carne vermelha propriamente dita — churrasco, bife e derivados —, o índice é de apenas 13%. 

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, um dos chefes da pesquisa, o professor Frank Hu, declarou que o estudo comprovou que o consumo excessivo de carne pode realmente levar o indivíduo a ter uma morte prematura. A solução sugerida por ele é substituir o alimento por outra fonte de proteína mais saudável.

Quem se considera carnívoro e não consegue imaginar sua vida sem uma bela peça de picanha não precisa se desesperar. Embora seu tempo de vida esteja diminuindo a cada ida à churrascaria, você pode fugir de problemas futuros ao evitar o excesso de carne vermelha. De acordo com a World Cancer Research Fund, o ideal é que você não ingira mais do que cinco quilos de carne semanalmente.