(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Um grupo de pesquisadores dinamarqueses e norte-americanos descobriu uma substância presente em uma erva tóxica capaz de destruir células cancerígenas. Derivada da Thapsia garganica, uma planta daninha nativa do mediterrâneo, a substância é capaz de reduzir significativamente o tamanho de tumores em apenas alguns dias após a aplicação.

De acordo com o site Futurity, que publicou a notícia, a planta é conhecida desde a antiguidade pelo seu efeito extremamente tóxico em animais. Os pesquisadores decidiram modificá-la quimicamente para tratar diversos tipos de câncer, batizando a substância de G202.

Granada inteligente

Segundo os cientistas do Johns Hopkins, a droga funciona como uma espécie de granada, circulando através da corrente sanguínea sem danificar nenhum tecido ou célula saudável, agindo apenas sobre as células cancerígenas e os vasos sanguíneos que alimentam os tumores. Quando a substância encontra essas estruturas, uma proteína liberada por elas puxa o pino, detonando a granada.

Os testes de laboratório demonstraram que a droga diminuiu o tamanho de tumores de próstata humanos implantados em ratos em 50% depois de apenas 30 dias de tratamento, obtendo resultados eficientes com modelos humanos de cânceres de mama, rim e bexiga também. O medicamento já está sendo testado em humanos para combater cânceres de próstata nos Estados Unidos.

Fontes: Science Translational Medicine, Johns Hopkins e Futurity