Cientistas dizem que pessoas doentes realmente possuem um cheiro peculiar
54
Compartilhamentos

Cientistas dizem que pessoas doentes realmente possuem um cheiro peculiar

Último Vídeo

Quando você está doente é natural que as pessoas evitem ficar próximo de você para também não adoecerem. Contudo, cientistas dizem que as pessoas doentes produzem um cheiro específico, capaz de afastar os outros inconscientemente. Estranho, não? O estudo foi publicado na revista internacional Psychological Science.

De acordo com o estudo, “os seres humanos são capazes de sentir o cheiro de doenças em pessoas em que o sistema imunológico está altamente ativo em somente algumas horas após entrar em contato com o indivíduo”. Mats Olsson, o líder do estudo, diz que os cientistas em geral especulam que esse é um mecanismo biológico natural para alertar as pessoas a não se aproximarem de quem está enfermo.

Trata-se de algo inconsciente, que nem sequer percebemos fazer. O estudo está se referindo aos indivíduos com doenças relativamente comuns e que podem se disseminar facilmente, como gripes e resfriados, e não as que possuem origem no próprio organismo de alguém. Os cientistas fizeram testes com grupos de voluntários injetando lipopolissacarídeos nas pessoas – toxina que induz uma resposta bastante rápida do sistema imunológico.

Posteriormente, eles coletaram as camisas suadas dos indivíduos infectados e as misturaram com pessoas que estavam normais. As camisas foram dispostas em um local para pessoas saudáveis as cheirarem. Grande maioria das pessoas apontou que as camisas suadas pelas pessoas infectadas eram mais desagradáveis do que as de pessoas saudáveis.

Apesar de a constatação parecer bastante clara, os cientistas não conseguiram identificar quais componentes químicos criam o “cheiro doentio”. A descoberta é considerada importante pois fornece uma melhor compreensão dos sinais das doenças, além de poder abrir portas para como as doenças infecciosas podem ser contidas.  

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.