O que as drogas usadas para melhorar o desempenho fazem ao seu corpo
237
Compartilhamentos

O que as drogas usadas para melhorar o desempenho fazem ao seu corpo

Último Vídeo

A poucos dias da abertura da Olimpíada, é comum vermos várias matérias que mostram as exaustivas rotinas de treino que cada atleta mantém para buscar um lugar no pódio.

Junto com elas, surgem também as denúncias envolvendo exames antidoping e drogas proibidas. Mas você sabe o que essas substâncias realmente fazem? O canal “Life Noggin” fez um vídeo para explicar.

Quando alguém usa esteroides anabolizantes, o corpo quebra essa substância em pequenas moléculas, que entram nas células e provocam alterações bioquímicas: uma vez que o receptor andrógeno é ativado, o corpo começa a produzir várias proteínas durante o processo de anabolismo das células; elas então se replicam e resultam no aumento dos músculos.

Segundo o “Life Noggin”, os esteroides anabolizantes ajudariam os atletas a treinarem mais duro, além de deixarem a recuperação mais rápida. O resultado é um aumento de até 38% na força!

Entretanto, como você já deve saber, existem muitos efeitos negativos, que vão desde o aumento da acne, até chances reais de desenvolver câncer de próstata, no caso dos homens.

Problemas causados pelos anabolizantes

Já na dopagem sanguínea, o atleta tira uma quantidade de sangue do corpo e armazena em um ambiente refrigerado. Nesse processo, o sangue obtém mais hemácias e é injetado novamente no corpo. Porém, há a opção de injetar a eritropoetina, ou EPO, que é o hormônio responsável pela produção de hemácias.

Como resultado, as hemácias em excesso transportam mais oxigênio para os seus músculos, melhorando em até 34% a resistência.

Mas lembre-se: além de fazer mal a sua saúde, esses métodos são completamente proibidos em competições profissionais. O ciclista Lance Armstrong, por exemplo, foi banido, teve todos os títulos cassados e responde por vários processos de seus ex-patrocinadores.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.