(Fonte da imagem: Oddity Central)

Se você está no auge de sua juventude e já começou a sentir o peso da idade e do sedentarismo, saiba que está na hora de criar vergonha na cara e começar a se mexer para conseguir um estilo de vida mais saudável. E para começar, comece se inspirando no exemplo do norte-americano Jeffrey Life.

A imagem acima mostra bem a diferença de seu antes e depois e como os exercícios físicos ajudaram a fazer com que seu corpo de um senhor de 70 anos fosse muito mais definido e saudável do que o deste redator de 23. É claro que Life tem alguns segredos para conseguir uma façanha desse porte. Além de séries pesadas de musculação, ele também conta com uma dose extra de hormônios.

Para compreender a transformação ocorrida em sua vida, é preciso voltar alguns anos no passado para encontrar um Joffrey Life obeso e com problemas de pressão e de diabetes — ou seja, mais um pertencente aos tristes índices globais de problemas de saúde devido à péssima alimentação. Contudo, ele decidiu participar de um desafio proposto pela revista Muscle Media e deu início à malhação.

Ampliar (Fonte da imagem: Oddity Central)

Os resultados não demoraram a aparecer. No entanto, mesmo perdendo mais de 10 quilos em apenas três meses, o peso da idade já estava agindo sobre seu organismo, o que impedia que o corpo mantivesse a definição vista em halterofilistas e outros “bombados”. Para contornar a situação, Life decidiu agir na raiz do problema e começou a tomar doses diárias de testosterona.

O resultado você consegue perceber facilmente nas imagens acima. Juntamente com uma série de exercícios e uma dieta com baixo consumo de carboidratos, o uso de hormônios fez com que o senhor recuperasse a vitalidade de sua juventude.

Porém, isso não quer dizer que a opção feita por ele é a melhor e mais saudável existente. Além de custar cerca de US$ 1.500 (cerca de R$ 2650 no câmbio atual) mensais de seu orçamento, a testosterona em excesso também traz alguns problemas para o organismo. O corpo humano, ao atingir certa idade, começa a diminuir a quantidade de testosterona e, ao tentar repor artificialmente, a pessoa aumenta as chances de desenvolver problemas de diabetes e até mesmo um câncer de próstata.