Quem é bom de cama sabe tudo sobre clitóris – agora você vai saber também
296
Compartilhamentos

Quem é bom de cama sabe tudo sobre clitóris – agora você vai saber também

Último Vídeo

Os anos passam, os tabus vão ficando de lado e, diferente dos tempos da sua avó, quando educação sexual estava longe de ser um assunto livremente debatido, hoje temos acesso a tudo, absolutamente tudo, o que quisermos saber sobre o assunto. Das bizarrices e fetiches aos conceitos psicológicos e anatômicos da coisa, o fato é que, quanto mais você souber, melhor.

Infelizmente, ainda que as informações estejam cada vez disponíveis e difundidas, o prazer feminino às vezes fica de lado. Anatomicamente falando, homens e mulheres são diferentes e, portanto, sentem prazer de maneiras diferentes e em lugares diferentes.

Por falta de conhecimento ou por acreditarem que sexo precisa ser exatamente igual ao que se vê nos filmes pornográficos, muitos homens não sabem dar prazer à mulher que, desanimada ou simplesmente com medo de não agradar, cai no erro mais velho de todos: fingir orgasmo.

Mudar a situação é possível, especialmente se o homem não está preocupado apenas com o próprio prazer. Aí o negócio é realmente se interessar pelo corpo da pessoa com quem você está fazendo sexo e, nesse sentido, descobrir o que dá prazer a ela. No caso das mulheres, existe uma região espetacularmente poderosa chamada clitóris. É sobre ele que você vai saber mais agora:

1 – Se a ideia é falar de todas as estruturas de uma vez só (clitóris, lábios e vagina), chame de “vulva”.

2 – 75% das mulheres que experimentam orgasmos em suas relações sexuais precisam de estímulos no clitóris

A maioria não tem orgasmo apenas com a penetração. Fica aqui essa grande dica, rapazes.

3 – O clitóris é apenas parcialmente visível

A artista Sophia Wallace, que recentemente fez uma exposição sobre o assunto, diz que o clitóris não deve ser chamado de “ponto”, mas de “iceberg”. A denominação dela faz bastante sentido, afinal vemos apenas a pontinha do órgão, que se estende no interior da vulva e pode ter o mesmo comprimento de um pênis não ereto. Proporcionalmente, é o mesmo que dizer que três quartos do clitóris estão “escondidos” dentro do corpo da mulher.

4 – O clitóris aumenta de tamanho durante a vida da mulher

Quando está excitada, o órgão fica mais enrijecido mesmo, mas não é desse aumento de tamanho que estamos falando aqui. Sabe-se que depois da menopausa o clitóris fica até 2,5 vezes maior do que era quando a mulher estava na adolescência. Isso não tem relação, no entanto, com ter mais ou menos prazer.

5 – O clitóris contém 8 mil terminações nervosas

Oito mil, meninos. Oito mil. Isso significa que a região é extremamente sensível ao toque e aos mais diversos estímulos que nem sempre vocês estão dispostos a dar durante a relação sexual, o que, sejamos sinceros, diminui bastante a graça da coisa para ela. Não se esquecer do clitóris é fundamental. E se essa questão das 8 mil terminações nervosas ainda não está clara para você, saiba que basicamente esse número é o DOBRO do que um homem tem na glande, que é a “cabeça do pênis”. O dobro.

6 – Uma questão de tecido genital

Quando o óvulo é fecundado e o embrião se forma, somos todos uma espécie de ervilha humana assexuada. Nessa etapa, quando começamos a nos formar, nosso tecido genital é igual. Ou seja: homens e mulheres têm seus órgãos sexuais formados a partir do mesmo tipo de tecido.

A genitália começa a se transformar em vagina ou pênis quando o embrião já tem 12 semanas de vida. Podemos dizer, então, que pênis e clitóris são feitos de materiais parecidos, mas moldados em “formas” diferentes. O clitóris também tem uma glande e um prepúcio, além de ficar ereto e inchado quando a mulher está excitada.

Por ser um órgão cuja maior parte do “corpo” fica dentro da mulher, alguns especialistas acreditam que o ponto G é uma espécie de ramificação do próprio clitóris. Se é ou não, talvez não faça diferença. Saiba apenas que o ponto G existe e está a um dedo de distância da entrada do canal vaginal.

Agora, se a ideia é entender bem como é a anatomia do clitóris, esse órgão de alegrias, clique aqui e aprenda.

7 – A função do clitóris

Se o pênis serve também para o xixi e para a liberação das células reprodutoras, o clitóris não tem outra função além de dar prazer à mulher. Não serve para a reprodução, não tem nada a ver com o canal urinário ou com as funções da bexiga. O clitóris, minha gente, é apenas para fazer com que elas vejam estrelas.

8 – Sobre os tipos de orgasmos

Muitos homens pensam no prazer feminino a partir daquilo que entendem como prazer. Então, meninos, vamos a mais um ponto importante da aula do dia: as mulheres podem ter mais de um tipo de orgasmo. A maioria entra em êxtase com o estímulo no clitóris mesmo, muitas atingem o orgasmo por meio da penetração, mas, se houver estímulo no clitóris durante a penetração, o resultado pode ser ainda melhor.

No canal vaginal, a uma distância pequena de mais ou menos um dedo indicador, está também o ponto G, que quando estimulado corretamente oferece resultados grandiosos. A penetração pode provocar o orgasmo cervical, que é aquele que não acontece necessariamente pelo estímulo do ponto G.

9 – A variação

Estamos mais acostumados a falar dos diversos tamanhos e formatos de pênis, mas o clitóris também muda de mulher para mulher. Alguns são mais escondidinhos, outros são visíveis. A forma como a mulher gosta de ser estimulada na região também não é sempre a mesma, por isso é fundamental falar com cada parceira a respeito de suas preferências. Enquanto algumas mulheres preferem toques mais leves, outras gostam de mais pressão na região.

10 – Contrações e duração

Enquanto os rapazes têm um momento bem breve de êxtase quando estão tendo orgasmo, a mulher costuma durar um pouco mais nesse sentido. Primeiro, é preciso saber que um orgasmo pode provocar até 16 espasmos musculares de uma vez só, por isso tanta contração. Segundo, saiba que o orgasmo feminino pode durar até 30 longos segundos.

Se falarmos em orgasmos múltiplos, aí a coisa pode demorar mais ainda. Eis algo que a maioria dos homens nem mesmo consegue imaginar: ter um orgasmo seguido de outro. E de outro. E de outro. Mas é totalmente possível que isso aconteça com as mulheres.

Alguns cientistas já estudaram isso a fundo, e a conclusão é a de que o menor orgasmo de uma mulher ainda é maior do que o maior orgasmo masculino. Se lembra das tais 8 mil terminações nervosas? Pois é. A culpa é delas.

11 – O nome

A palavra “clitóris” vem da palavra grega para “chave”. Aí está uma boa possibilidade metafórica: seria essa chave do prazer feminino a solução para relacionamentos mais satisfatórios? Possivelmente. Então, rapazes, vale a lembrança de que conversar com sua parceira a respeito das preferências dela é sempre uma boa pedida. E, se você parar para pensar, eis uma conversa que pode terminar muito bem.

E aí, o que mais você gostaria de saber sobre sexo e prazer feminino? Comente no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.