Como forma de mostrar uma visão diferenciada do Sol, a NASA usou o filtro gradiente (presente em qualquer editor de imagens) para filmar o astro. O uso do recurso permitiu que a agência espacial norte-americana aumentasse o contraste das imagens capturadas, destacando estruturas que normalmente são ignoradas em condições normais.

Além de dar um ar artístico ao vídeo capturado pela NASA, o filtro vai permitir que cientistas estudem um fenômeno conhecido como anéis coronais. Através da observação da maneira como arcos de energia solar viajam por caminhos determinados por campos magnéticos, pesquisadores esperam obter uma maior compreensão do funcionamento do astro.

Com isso, a agência norte-americana espera ser capaz de prever com maior precisão a ocorrência de erupções solares e ejeções de massa coronal. A expectativa dos cientistas que participam do projeto é entender em detalhes como ocorre cada ciclo do Sol, cuja duração aproximada é de 11 anos.

Fonte: NASA Explorer