Belt purse: a volta da pochete
Seja o primeiro a compartilhar

Belt purse: a volta da pochete

Equipe MegaCurioso

Quem não lembra dos "pochetões" duvidosos?
Fonte: shopstyle.com

Você deve se lembrar de um tempo em que as pochetes fizeram parte do dia a dia das pessoas. Por mais duvidoso que isso parecesse, poucos questionavam o uso da famigerada bolsa. Os anos 1980 e 1990 tiveram suas cinturas marcadas por um acessório que dividiu opiniões e até hoje o faz. Muitas vezes grandes e desajeitadas, elas não foram lá muito apreciadas pelas mulheres justamente por não terem modelagens femininas.

Por isso, as pochetes foram mais frequentes nas cinturas dos homens – que poderiam achar esse tipo de bolsa bastante prático. O caimento da peça também contribuía um tanto para que não fosse uma peça muito agradável para as moças. Não é por acaso que aquela gordurinha a mais recebeu o nome de “pochete”. Aí chega-se à discussão sobre o jeito certo de usar a bolsa: para frente ou para trás? O bom gosto mandaria deixá-la para trás. Porém, por razões de “segurança” e, talvez, praticidade, ela tenha passado para a frente.

O retorno

Para quem já estava erguendo as mãos para os céus e agradecendo a quase estabelecida extinção da pochete, aqui vai uma notícia um pouco curiosa. Desde 2010 algumas grifes americanas têm adotado a peça como detalhe importante nas criações e até mesmo nos desfiles, como aconteceu na semana de moda de Nova York no final do ano passado.

Mais leves, as belt purses são uma tendência polêmica
Fonte: rugby.com

Contudo, as famigeradas pochetes voltam com nome e cara nova. Belt purse é o termo para designar as bolsas presas à cintura. Mais estilosas, agora elas usam materiais diferentes e design mais sofisticado. Muitas delas são mais simpáticas e provavelmente terão muito mais aceitação do que os modelos de vinte ou trinta anos atrás.

As texturas e modelos mudaram bastante e agora a pochete passou a ter um espaço muito mais digno do que no passado. Com muito menos volume, as belt purses são infinitamente mais estilosas e ficam muito mais leves na hora de compor qualquer look. Mesmo assim, é preciso tomar alguns cuidados na hora de assumir que se está usando uma “evolução da pochete”.

Repaginada

Ainda que polêmica, a pochete ou belt purse (como preferir), é inegavelmente prática. A vantagem de carregar tudo o que você precisa sem ocupar ombros e mãos é um alívio para quem não gosta de perder a “agilidade” no dia a dia. Esse ponto positivo só faz ficar ainda mais interessante quando o assunto é balada – quem nunca ficou um pouco agoniada em precisar carregar bolsa?

Fonte: Getty images

Clutches e transpassadas jamais terão a “liberdade” e despreocupação de uma belt purse. Contudo, é importantíssimo lembrar que o seu look deve ser completamente pensado para combinar com essa “pochete repaginada”. É verdade que os cintos ficaram mais finos e as bolsas mais delicadas. Por isso mesmo, você precisa ter alguns cuidados na composição.

Além da preocupação com a roupa, outro elemento importantíssimo na hora de escolher a belt purse como bolsa é o seu tipo físico. Como se trata de uma peça que marca a cintura é altamente recomendável que você mantenha a forma para exibir a cinturinha fina.

Como combinar?

Uma vez escolhida a sua belt purse, é hora de definir qual roupa usar. Como você vai “dividir” o look com a bolsa na cintura, pense em algo com tecidos leves e soltos. Uma boa ideia é usar com vestidos mais frescos, com aquela cara de verão. Outra sugestão interessante é combiná-la com blusas e calças que fiquem um pouco “larguinhos”.

Usar uma belt purse exige o mesmo cuidado dos cintos. Roupas justas podem acabar ganhando um efeito “apertado” demais e não é bem essa a proposta. Porém, as roupas muito largas também podem criar o efeito inverso do que se pretende. Aquela camiseta folgada combinada à bolsa de cinto pode causar o efeito “anos 1980” e desandar a sua produção.

Fonte: shopstyle.com

Sendo assim, é muito importante lembrar que não é todo mundo que pode se aventurar pelos terrenos ousados da nova pochete. É essencial que algumas regras sejam respeitadas na hora de fazer a escolha.

Para poucas

Fonte: hanneli.com Essa é a hora em que as mais empolgadas com as novas tendências começam a desanimar. Infelizmente, nem tudo o que é lançado nas semanas de moda pode ser incorporado por todas as moças do mundo. Peças que tem como característica principal “dividir” o corpo em duas partes precisam ser usadas com muito cuidado.

Portanto, se você não é lá muito alta e está alguns quilinhos acima do peso, talvez a belt purse não seja uma boa opção no seu caso. O acessório fará o papel de vilão e vai achatar o seu look em vez de alongar. A ideia para parecer mais alta é justamente evitar peças que criem linhas horizontais e aquela descontinuidade da silhueta.

Para quem passou com folga dos 1,70 metros, a belt purse está liberada, mas com ressalvas. Usar as peças mais folgadas é essencial para um bom look com esse acessório. Do contrário, as chances de arruinar tudo são muito grandes. Escolher a bolsa no tamanho certo também é importantíssimo.

Quanto maior for a bolsa, mais ela vai se parecer com as pochetes desajeitadas dos anos 1980 e 1990. Vale lembrar que as belt purses foram feitas para carregar poucas coisas, como o seu celular, documentos, dinheiro e aquele batom ou máscara de cílios que você tanto ama. Nada de carregar iPad, nécessaire completa ou objetos pesados na sua bolsa.

Vai ou fica?

Como praticamente todas as tendências, as belt purses serão passageiras. Isso já ficou bastante evidente há vinte e poucos anos, quando elas eram apenas pochetes. Ainda assim, elas têm seus usos e podem ser muito bem valorizadas se você souber como usá-la sem pesar demais o visual. Justamente por isso é difícil apostar em itens desse tipo por mais de uma ou duas temporadas.

Outro fator que pode complicar um pouco a permanência da nova geração de pochetes nos guarda-roupas das fashionistas é a restrição dos tipos físicos. Não é todo mundo que tem o corpinho perfeito para usar uma belt purse sem medo de parecer baixinha.

E para você, como fica essa repaginada das pochetes?

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.