(Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

Para comemorar os 40 anos de operação da missão Landsat, a NASA e o USGS — Serviço de Pesquisas Geológicas dos Estados Unidos — decidiram selecionar as mais belas imagens capturadas da Terra, escolhidas por parecerem verdadeiras obras de arte.

O programa — que visa mapear, acompanhar e monitorar as mudanças ocorridas no nosso planeta através de imagens — acabou formando uma coleção com milhares de imagens. Dessas, os cientistas selecionaram as mais belas fotografias e pediram que as pessoas votassem nas melhores. Depois de 14 mil votos, veja a seguir as 5 escolhidas:

5º lugar: Lago Eyre, Austrália

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

A imagem acima mostra partes inundadas deste raso lago que, quando se encontra cheio, se torna o maior lago australiano. Entretanto, se você prestar atenção, o centro da imagem forma um desenho parecido com uma caveira.

4º lugar: Abstrato argelino

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

Os traços amarelos observados nesta composição não foram criados por computador. Trata-se, na verdade, de montanhas formadas por areia soprada pelo vento, que fazem parte de uma área na Argélia onde se pode encontrar um mar de dunas que chegam a medir mais de 500 metros de altura e largura cada uma.

3º lugar: Meandros do Rio Mississippi

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

Todos os quadradinhos que podem ser observados nesta imagem são campos de cultivo, pequenas povoações e pastos localizados nas imediações dos meandros formados pelo famoso rio norte-americano, compondo um belo e interessante mosaico.

2º lugar: Delta do Rio Yukon

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

A imagem acima mostra os diversos lagos, lamaçais e lagoas que formam parte do delta deste rio localizado no Alasca — um dos maiores deltas do mundo, que apresenta o tamanho aproximado do estado de São Paulo.

1º lugar: Van Gogh espacial

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

A imagem, que mais parece uma obra do famoso pintor holandês, mostra enormes agrupamentos de fitoplâncton próximos a Gotland, uma ilha sueca localizada no Mar Báltico. Tais agrupamentos são formados quando as correntes marinhas mais profundas trazem nutrientes à superfície, provocando o crescimento e a reprodução dessas minúsculas plantas.

Fontes: NASA e USGS