(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Depois de o Boeing 787 — considerado o avião mais moderno já produzido pelo homem  — perder um pedaço durante o voo de testes nos Estados Unidos, apresentar diversos problemas com as turbinas e ter forçado um pouso de emergência na manhã desta quinta-feira (16) devido a uma falha na bateria, as companhias All Nipon Airways (ANA) e Japan Airlines, as maiores do mercado local, decidiram manter as aeronaves desse modelo em terra.

O Ministério japonês da Aviação lançou um comunicado dizendo que os problemas que resultaram no pouso de emergência do voo 692, da ANA, são graves e que uma investigação deverá ser conduzida para garantir a segurança dos equipamentos.

No total, já ocorreram sete incidentes com aviões Boeing 787 desde julho de 2012 até hoje. Além dos já citados, houve também pousos forçados das empresas United Airlines e Qatar Airways após a detecção de problemas elétricos na aeronave. Como se não bastasse, no último dia 8 de janeiro a Japan Airlines se viu obrigada a cancelar a decolagem depois de um vazamento de combustível em um de seus 787.

Pelo visto, a maior estrela da Boeing no momento precisa de uma boa revisão, caso contrário, o nome da empresa poderá ficar ainda mais manchado.