4 ingredientes sinistros que já foram utilizados por restaurantes
37
Compartilhamentos

4 ingredientes sinistros que já foram utilizados por restaurantes

Último Vídeo

Você já deve ter visto aqui no Mega Curioso diversas matérias sobre comidas bizarras ou ingredientes nojentos que fazem parte da culinária de outras culturas e são apreciados pelo mundo. No entanto, os ingredientes que compõem essas “delícias” são bem conhecidos, e fica a critério de cada um experimentar ou não as iguarias. Mas e no caso daqueles pratos em que os degustadores são enganados e não fazem ideia do que estão comendo?

O pessoal do site Cracked publicou um artigo sobre ingredientes bem pouco apetitosos que já foram utilizados secretamente para preparar alguma comida, e você pode conferir quais foram esses produtos a seguir:

1 – Guaxinim, tartaruga e veado

Fonte da imagem: pixabay

Um norte-americano chamado Alexander Moy foi preso no ano passado depois que as autoridades descobriram que ele fornecia carne de tartaruga, guaxinim e veado aos mercados de Chicago. Esses produtos eram então distribuídos a diversos restaurantes da cidade — principalmente estabelecimentos de Chinatown — e das redondezas, e eram servidos aos clientes como ingredientes de sopas ou misturados a outros tipos de carne.

 2 – Especiarias do mal

Fonte da imagem: pixabay

As sementes de papoula são ingredientes bem comuns utilizados na culinária. No entanto, como você sabe, outras estruturas dessa planta contêm o ópio, uma substância narcótica capaz de causar dependência. Pois alguns restaurantes na China começaram a adicionar as cápsulas das quais as sementinhas são obtidas na forma de especiaria para, além de supostamente conferir um sabor singular aos pratos, tornar os clientes viciados nas comidas.

3 – Filé de laboratório

Fonte da imagem: pixabay

Na Europa, o consumo de carne de cavalo é algo bastante corriqueiro, mas a comercialização de peças provenientes de animais utilizados em laboratórios para a produção de vacinas para a raiva e o tétano deu o que falar na França. A carne dos mais de 100 cavalos envolvidos no escândalo foi comercializada como sendo apta para o consumo humano, e inclusive foi exportada para alguns países vizinhos.

4 – Óleo negro

Fonte da imagem: Reprodução/International Business Times

Aparentemente não existem limites para a ganância humana. Na China, existe um mercado negro que vende óleo de cozinha “reciclado”. Entretanto, esse produto consiste da gordura animal e do óleo já descartado pelo uso ou ainda obtido a partir — prepare-se para esta! — dos encanamentos. Isso mesmo, o material é raspado dos canos de esgoto e enviado a fábricas para que seja processado e reutilizado.

É estimado que um décimo de todo o óleo de cozinha vendido na China seja o produto desse esquema — pra lá de nojento — ilegal, apesar da dura punição aplicada para quem for pego comercializando o produto. Portanto, quando você estiver de visita pelo país, não precisa ficar de jejum as férias inteiras, mas fique esperto na hora de escolher os vendedores de rua ou restaurantes que ofereçam comida estranhamente barata.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.