(Fonte da imagem: Thinkstock)

De acordo com o site Medical Daily, um novo estudo, realizado por pesquisadores da Universidade Brigham Young, dos Estados Unidos, sugere que o nosso nível de determinação e persistência pode estar relacionado com a maneira como os nossos pais — e não nossas mães — nos criaram, principalmente durante a adolescência.

Depois de monitorar 325 famílias durante quatro anos, os pesquisadores descobriram que pais com estilos de criação exigentes, mas ao mesmo tempo emocionalmente receptivos e que encorajavam sentimentos de autonomia e responsabilidade em suas crianças, eram mais propensos a ter filhos com níveis de determinação significativamente mais altos, com melhores resultados escolares e índices de delinquência mais baixos.

Por outro lado, pais autoritários, com um estilo de criação baseado em castigos e punições severas, eram mais propensos a ter filhos menos persistentes e determinados. Segundo os pesquisadores, existem poucos estudos sobre o papel dos pais na criação dos filhos e características como a persistência podem fazer toda a diferença no futuro dos jovens.

Influência paterna

Embora as mães também estimulem esses mesmos sentimentos nos filhos, o estudo reflete a importância única do envolvimento paterno na educação dos filhos, mostrando evidências de que os pais podem exercer uma forte influência na autoestima e autocontrole dos jovens.

O estudo sugere que pais mais próximos, que ouvem seus filhos, determinando regras apropriadas ao mesmo tempo que também conferem algumas liberdades, são os que parecem ser mais eficientes na criação de suas crianças.

Fonte: Medical Daily