Dançarina assume marca de nascença e fala sobre preconceito
46
Compartilhamentos

Dançarina assume marca de nascença e fala sobre preconceito

Último Vídeo

A dançarina Cassandra Naud tem uma marca de nascença no rosto e cresceu ouvindo que deveria procurar ajuda médica para remover a tal marca. Aos 22 anos, não só ela não removeu a pinta como decidiu mostrar ao mundo, de uma vez por todas, que é uma pessoa absolutamente normal e que marca nenhuma a faria mudar sua vida.

A decisão de manter a marca, porém, foi algo que veio com o passar do tempo, pois quando era criança, Cassandra só pensava em remover a pinta de seu rosto. Com a maturidade, ela viu que a marca era o que a deixava única, diferente de todas as outras pessoas e, ao contrário do que se pode imaginar, ela gosta dessa diferença.

Na infância, seus pais não autorizaram a remoção por medo de que Cassandra ficasse com muitas cicatrizes no rosto. No final das contas, a característica de nascença não impossibilitou conquista alguma da dançarina, que tem uma vida absolutamente normal e agora serve de inspiração para muitas pessoas.

“Minha marca de nascença é uma grande parte de mim. Ela faz com que eu seja única e memorável, o que é especialmente importante para a carreira que escolhi”, disse ela em declaração publicada no Bored Panda. Segundo a dançarina, manifestações preconceituosas são raras, ainda assim, ela conta que já sugeriram que editasse suas fotos antes de publicá-las.

O preconceito era maior na escola, quando Cassandra era mais nova. Muitas vezes, depois de ouvir provocações e piadinhas de mau gosto, ela voltava para casa chorando e se sentindo feia. Hoje, no entanto, a situação é bem diferente e Cassandra e sua marca de nascença mostram ao mundo que cada pessoa é de um jeito – e não há nada errado com isso.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.