Quer mandar bem no trabalho? 6 dicas de networking para quem é introvertido
64
Compartilhamentos

Quer mandar bem no trabalho? 6 dicas de networking para quem é introvertido

Último Vídeo

Pessoas introvertidas, superficialmente falando, são aquelas que interiorizam suas emoções, e por isso acabam sendo chamadas, muitas vezes, de tímidas ou antissociais, sendo que nem sempre é o caso. Existem pessoas introvertidas que não têm problemas em fazer novas amizades ou em falar em público, por exemplo, que são duas dificuldades típicas de quem é tímido.

Na verdade, uma pessoa pode demorar a descobrir que é introvertida. Geralmente, ela apresenta comportamentos sociais mais moderados, é do tipo que pensa muito antes de falar e que frequentemente sente a necessidade de ficar sozinha, que é quando se sente mais criativa e livre. E não é só isso: são pessoas que nem sempre se sentem confortáveis quando precisam conhecer gente nova ou participar de eventos relacionados ao trabalho.

A revista Time publicou uma série de dicas para quem é introvertido e tem dificuldades de estabelecer conexões com pessoas de suas redes de interesse, o que é fundamental para a criação de uma rede funcional de contatos – o bom e velho networking. Confira:

1 – É fundamental prestar atenção naquilo que se diz

A autora do texto, Mickey Gast, usa sua própria experiência pessoal como exemplo. Ela explica que se considera uma pessoa introvertida, que tem pavor de conhecer gente nova e que aprecia muito o tempo que passa sozinha. Ainda assim, Gast deixa claro que o efeito psicológico da palavra “introvertido” pode atrapalhar tudo, pois a pessoa introvertida às vezes se apega à definição tímida e antissocial do termo e acaba sabotando a si mesma.

“A realidade é que eu posso ser tímida, e eu também posso me tornar melhor em conhecer novas pessoas. Ser bom em networking é uma habilidade que pode ser treinada. Não é quem eu sou, mas o que eu faço que mais importa”, explica ela. Então, nesse sentido, a dica é prestar mais atenção aos rótulos que damos a nós mesmos – alguns, além de não serem verdadeiros, podem carregar uma conotação negativa.

2 – Deixe a negatividade de lado

Quando você vive uma situação desagradável, seu corpo reage a isso de diversas maneiras, e você pode se sentir enjoado, tonto, irritado, ansioso ou com dor no estômago, só para citar alguns sintomas. Para os introvertidos, conhecer novas pessoas pode ser algo visto como uma situação desagradável, o que, por consequência, pode provocar as reações que acabamos de citar.

Essas reações negativas são motivadas pelo sistema de defesa do nosso cérebro, que nos coloca em alerta quando percebe que estamos em uma situação de perigo. Conhecer outras pessoas, no entanto, raramente é sinônimo de perigo, e por isso é preciso sempre imaginar as coisas positivas de se estabelecer novas redes de contatos. Focar no negativo só vai piorar a situação.

3 – Xô, obstáculos!

Para muitos introvertidos, eventos sociais podem ser vistos como o pior cenário possível. Os medos são diversos: dizer alguma coisa idiota, não conseguir conversar direito com ninguém, ser visto como o forever alone da festa, gaguejar, falar coisas inconvenientes e por aí vai. Para cada cabeça, existem sempre as mais diferentes caraminholas.

Para evitar acordar esses demônios internos, Gast nos aconselha a mudar de foco. Já sabemos quais são os possíveis obstáculos, certo? Então o jeito é deixá-los guardadinhos em nossa mente e aprendermos a valorizar os possíveis pontos positivos de conhecer novas pessoas com interesses pessoais parecidos com os nossos. Em um papel, responda a estas perguntas: qual é a melhor coisa que pode acontecer se você criar coragem e comparecer ao tal evento? Que oportunidades isso pode trazer a você? Que tipo de conexões novas você pode estabelecer?

4 – Procure descobrir o que há em comum entre você e as outras pessoas

Digamos que você é dentista e está em um congresso de odontologia. Congressos são ocasiões que você detesta. A boa notícia é que muito provavelmente você não é a única pessoa a pensar dessa maneira – é bem provável que outros dentistas também se sintam entediados, retraídos e inseguros nesse evento.

Essa falta de segurança é provavelmente apenas uma entre outras coisas que você e esse outro dentista têm em comum. A verdade é que nosso cérebro fica feliz da vida quando reconhece uma pessoa com quem temos algo em comum, então a dica aqui é procurar estabelecer contato com quem se parece com você – nesse sentido, vale investigar (e não stalkear, que fique claro) que pessoas estarão no evento. Essa preparação diminui bastante a ansiedade.

5 – Use sua intuição ao seu favor

Sabe quando você sente que algo de errado vai acontecer e, no final das contas, a zica acaba acontecendo mesmo? De acordo com Gast, é possível reverter essa situação. Ela explica que novos estudos sugerem que pessoas que pensam que serão bem aceitas em novos grupos geralmente tendem a agir de modo que, no final das contas, é isso o que acontece.

O segredo para que novas pessoas gostem de você é demonstrar pouco nervosismo e ser mais caloroso – só isso já é suficiente para que as outras pessoas tenham uma impressão positiva a seu respeito. A dica é pensar no evento como um sucesso, uma oportunidade para que você estabeleça novas conexões com pessoas interessantes.

6 – Novas atitudes são como novos sapatos

Gast nos explica que, quando uma pessoa usa um novo par de sapatos, é provável que o calçado não seja assim tão confortável. Felizmente, quanto mais você usa o tênis novo, mais ele se encaixa ao molde do seu pé e mais confortável ele fica. O mesmo vale para novas atitudes. No começo, conversar com uma pessoa desconhecida pode parecer uma tortura, mas depois essa sensação vai passando e, pode acreditar, é possível que um dia você ache natural conversar com gente diferente.

O segredo aqui é ter paciência e não esperar uma mudança drástica que aconteça de um dia para o outro. Mudanças comportamentais levam tempo para serem solidificadas, e com um introvertido isso não seria diferente. A cada dia, tente fazer algo novo, desafiador para você. Com o passar do tempo, seu comportamento tende a ficar bem melhor.

***

E você, tem problemas para conhecer novas pessoas ou é do tipo que vira melhor amigo de um estranho em questão de segundos? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.