Você acha que as proteínas são todas benéficas à saúde? Pois está na hora de saber que algumas delas podem ser muito perigosas – e até mesmo levar à morte. Estamos falando de algumas das cadeias proteicas mais letais de todo o planeta e que, sem que saibamos, estão presentes em muitos lugares. Conheça agora as cinco mais perigosas que podem ser encontradas na Terra.

1. Toxina botulínica

A cadeia de proteínas conhecida como toxina botulínica é muito mais presente do que todos imaginam. É ela que está por trás do Botox utilizado nos tratamentos estéticos que deixam a pele com menos marcas de expressão – pois um dos efeitos é a paralização dos músculos faciais. O problema é que a intoxicação pela toxina botulínica pode levar à morte em até 6 horas, pois também paralisa os músculos envolvidos na respiração.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

2. Tetanospasmina

Como você pode perceber pelo nome da substância, a tetanospasmina é responsável pelo tétano. Produzida pela bactéria sintetizadora Clostridium tetani, ela gera uma série de espasmos musculares bem violentos em quem estiver infectado, pois afeta diretamente o sistema nervoso. Apenas 200 nanogramas de tetanospamina são capazes de matar um ser humano.

3. Verotoxina

Proteína sintetizada pela bactéria Escherichia coli, a Verotoxina pode ser encontrada em fezes de gado – sendo disseminada facilmente para a população humana. No organismo dos humanos, ela interfere diretamente na criação de substâncias do trato gastrointestinal e dos rins, causando danos ao sistema circulatório. Em alguns casos, os danos podem ser tão graves que resultam em uma falência múltipla dos órgãos.

4. Abrina

Você já ouviu falar nas ervilhas do Rosário? São plantas consideradas venenosas e medicinais, pois, ao mesmo tempo em que podem levar à morte, também podem contribuir no combate à diabetes, tétano e raiva. Quando ingerida, a abrina pode causar vômitos, diarreia com sangue e alucinações. Se não for encontrado tratamento rápido, a morte pode chegar em apenas três dias, devido às falhas nos rins, baço e fígado.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

5. Conopeptídeos

Os conopeptídeos fazem parte de um grupo de neurotoxinas presentes no veneno de caracóis marinhos. Apesar de mortes humanas por intoxicação conopeptídica não serem conhecidas, a cadeia proteica pode causar problemas sérios aos sistemas neurológico e circulatório. Pesquisadores de todo o mundo buscam formas de transformar a toxina em medicamento há algum tempo.

Fonte: io9