Você sabia que existem dois tipos de maconha com efeitos diferentes?
205
Compartilhamentos

Você sabia que existem dois tipos de maconha com efeitos diferentes?

Um dos temas mais polêmicos dos últimos tempos é a maconha: deve-se legalizar ou não? Ela é tão perigosa quanto as outras drogas ou é realmente a erva da paz? É possível promover a cura de doenças com o uso da Cannabis? Nós não queremos entrar no mérito dos debates – e são tantos! – que a maconha promove, mas uma coisa é certa: independente de qual seja a sua posição a respeito do assunto, é sempre bom conhecer mais sobre ele.

A plantinha verde é chamada de vários nomes, mas o gênero Cannabis dá origem a duas principais subespécies: a Sativa e a Índica. Apenas a espécie Índica tem efeitos medicinais, afinal, ela tem níveis superbaixos de THC, substância responsável pelos efeitos psicoativos da maconha.

Diferenças

À esquerda, Cannabis sativa, e à direita, Cannabis Índica. Fonte da imagem: Reprodução/Transmitdistort

Esse segundo tipo de maconha, com pouco THC, tem a presença de outra substância menos popular, o CBD ou, ainda, a canabinoide, responsável por causar relaxamento muscular e aliviar dores sem muitos efeitos psicoativos.

O tipo Índica é conhecido também por ter boa qualidade fibrosa, sendo que, com ela, é possível até mesmo produzir tecidos e materiais similares. Ainda assim, a maioria dos países não autoriza esse tipo de produção, para evitar que o cultivo fique desenfreado e que o outro tipo de maconha, usado para fins recreativos, comece a ser plantado também, de maneira ilegal.

A Cannabis Sativa, porém, já tem um tipo fibroso de menor qualidade, e seu consumo não está associado a tratamentos medicinais, justamente pelos efeitos psicoativos e físicos – os mais típicos incluem euforia, criatividade, crise de riso, paranoia e nervosismo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.