Já imaginou tomar uma pílula e poder identificar todas as notas musicais?
221
Compartilhamentos

Já imaginou tomar uma pílula e poder identificar todas as notas musicais?

Último Vídeo

Você já ouviu falar em ouvido absoluto? Esse é um termo musical que designa a habilidade de reconhecer qualquer nota musical e que costuma se desenvolver no período crítico de nossas vidas, que vai até os sete anos. Tal dom é tão incrível que chega até mesmo a ser raro: apenas uma em cada dez mil pessoas tem o ouvido absoluto, e entre elas estão personalidades como Michael Jackson, Ella Fitzgerald e Mariah Carey.

Mas se você, assim como eu, não faz a menor ideia da diferença entre um Si bemol e um Fá, não se preocupe: a ciência pode ter a solução. Pesquisadores descobriram que um simples medicamento pode fazer com que os adultos desenvolvam essa habilidade, mesmo sem nunca ter estudado teoria musical.

Habilidades da infância

Estudos desenvolvidos anteriormente mostraram que o ácido valpróico – um medicamento utilizado no tratamento de epilepsia – permitiu que ratos adultos desenvolvessem hábitos que não costumam ocorrer após a infância.

A partir daí, Takao Hensch, que é pesquisador da Universidade de Harvard, e sua equipe resolveram testar a substância em um grupo de adultos sem qualquer conhecimento musical. Os voluntários foram divididos em dois grupos – um que ingeriu o ácido valpróico e outro que recebeu um placebo – e ambos fizeram uma série de exercícios musicais online durante duas semanas.

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Ao final desse período, os cientistas notaram que o reconhecimento das notas musicais foi mais acentuado no grupo que ingeriu o medicamento, o que mostra que a droga é capaz de reestabelecer a plasticidade do cérebro que é naturalmente perdida após a infância.

Será que podemos reaprender?

Em uma entrevista ao site NPR, o Dr. Hensch ressalta que os benefícios da substância podem ir além da música e representar um grande avanço na aprendizagem: “Existem muitos exemplos de tipos de desenvolvimentos do período crítico, e a linguagem é o mais óbvio deles. Então a ideia aqui era: podemos descobrir uma maneira de reabrir a plasticidade do cérebro e, com o treinamento apropriado, permitir que os adultos se tornem jovens novamente?”, questiona o pesquisador.

Embora pareça que uma simples pílula possa ajudar a desenvolver todas as habilidades que foram esquecidas desde a infância, o cientista ressalta que os próximos passos da pesquisa precisam ser cautelosos.

“Se formamos nossas identidades através do desenvolvimento, através de um período crítico, e combinamos nosso cérebro com o meio em que somos criados, adquirindo linguagem, cultura, identidade, então se apagarmos isso ao reabrir o período crítico, também corremos um risco”, explica Hensch.

Apesar dos riscos que o pesquisador comenta, você toparia tomar algumas doses do medicamento para aprender a identificar as notas musicais ou, quem sabe, falar outros idiomas com mais facilidade?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.