Islândia: o país que 'nasceu' da maior cadeia montanhosa do planeta
84
Compartilhamentos

Islândia: o país que 'nasceu' da maior cadeia montanhosa do planeta

Último Vídeo

Localizada entre o limite das placas tectônicas do continente norte-americano e o da Eurásia, a Islândia é uma ilha formada por erupções vulcânicas que aconteceram cerca de 24 milhões de anos atrás. O encontro das placas marca a formação da dorsal Mesoatlântica, que consiste na maior cadeia de montanhas do mundo, chegando a medir 65 mil quilômetros de extensão.

"Nascimento" inusitado

A dorsal também recebe os nomes de dorsal Submarina e Crista Média Oceânica. A cadeia montanhosa é composta por basaltos, proveniente das erupções vulcânicas. Aliás, essa também é a cadeia mais longa de vulcões do mundo! Das erupções e do afastamento entre as placas, cria-se a propagação do fundo do mar, que aumenta em proporções de 1 a 10 centímetros ao ano. 

A cordilheira só se projeta na superfície em alguns pontos, formando ilhas. Com uma localização tão privilegiada, a Islândia acaba sendo um lugar único – ela representa a maior porção da crista da cordilheira Mesoatlântica que fica exposta, acima do nível do mar. Sim: a maior cadeia de montanhas da Terra é subaquática! Na verdade, mais de 90% da cordilheira fica submersa no oceano. 

Parte visível da dorsal Mesoatlântica na Islândia

No sudoeste da ilha, especificamente no Parque Nacional de Thingvellir, tem-se a melhor vista da crista da dorsal. O movimento entre as placas criou uma série de fendas e falhas que atravessam a região, formando cânions – o maior deles conhecido como Almannagjá. 

Dentro da dorsal, a Islândia foi formada no cume de Reykjanes, e é um dos lugares mais geologicamente ativos no nosso planeta. A expansão do cimo, que acontece a uma média de 2,5 centímetros por ano, muda a geografia e a atividade vulcânica da ilha, que conta com mais de 15 vulcões. Mas calma! Suas últimas erupções aconteceram no século passado.

Outra particularidade da Islândia já figurou entre os 10 lugares mais surpreendentes e inexplorados do oceano. A fissura de Silfra é uma fenda com 63 metros de profundidade, inundada por água doce. Apesar das baixas temperaturas, ela é um local popular para passeios e mergulhos. 

A fissura de Silfra, ponto popular para mergulhos

Além da Islândia, outras ilhas se formam nas elevações dessa cadeia montanhosa: Açores, ilha de Ascensão e ilha do Pico. Ao longo da dorsal Mesoatlântica, também há as ilhas de Jan Mayen, Kolbeinsey, Bermuda, Penedos de São Pedro e São Paulo, Santa Helena, Tristão da Cunha, Gonçalo Álvares e Bouvet.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.