Seja o primeiro a compartilhar

9 fatos fascinantes sobre Carl Jung, o fundador da psicologia analítica

Nascido em 26 de julho de 1875, na Suíça, Carl Gustav Jung deixou um legado inabalável como um dos pioneiros na psicologia. Fundador da psicologia analítica, ele dedicou sua vida a explorar os recantos da mente humana. Conheça nove fatos fascinantes sobre esse psicoterapeuta visionário!

1. “Introvertidos” e “extrovertidos”

(Fonte: Central Press/Getty Images)(Fonte: Central Press/Getty Images)

Jung introduziu os termos "introvertido" e "extrovertido" em seu livro Tipos Psicológicos, publicado em 1921. Ele acreditava que essas características eram uma mistura, rejeitando a ideia de pureza introvertida ou extrovertida. Suas ideias formaram a base para teorias modernas de personalidade.

2. O livro sobre OVNIs

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Surpreendentemente, Jung explorou o fenômeno dos OVNIs em seu livro Um mito moderno das coisas vistas nos céus, em 1959. Sua abordagem focou na interpretação psicológica dos rumores sobre alienígenas, destacando sua constante busca pela compreensão da mente humana.

3. Colaboração com o físico Wolfgang Pauli

Wolfgang Pauli. (Fonte: Wikimedia Commons)Wolfgang Pauli. (Fonte: Wikimedia Commons)

Jung desenvolveu uma amizade incomum com o físico teórico Wolfgang Pauli, explorando questões fundamentais sobre a natureza da realidade. Essa colaboração levou à ideia de sincronicidade, que explora "coincidências significativas" entre eventos físicos e psicológicos.

4. Duas pessoas dentro de uma

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Uma das inovações notáveis de Jung foi levar sua vida interior a sério, identificando duas personas dentro de si, chamadas de n.º 1 e n.º 2. Essa abordagem contribuiu para sua visão única sobre ego e individuação.

5. A tese de doutorado e o ocultismo

(Fonte: Hulton Archive/Getty Images)(Fonte: Hulton Archive/Getty Images)

Em sua tese de doutorado, Jung explorou o ocultismo analisando sessões de uma médium. Esse trabalho lançou as bases para suas ideias sobre o inconsciente, os complexos e como fenômenos ocultos podem revelar aspectos da personalidade.

6. O Livro Vermelho

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Jung passou 16 anos escrevendo e ilustrando O Livro Vermelho, em que descreve uma jornada profunda no seu próprio inconsciente. Esse trabalho, conhecido como "o Santo Graal do inconsciente", permaneceu inédito por anos, mas revelou seu compromisso com a exploração pessoal.

7. Desmaios durante a infância

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Jung experimentou episódios de desmaios durante a infância, ocorrendo sempre que enfrentava forte pressão social. Esses desmaios são mencionados como parte de sua vida escolar, onde Jung era alvo de ciúmes por parte de seus colegas.

Essa resposta física ao estresse pode ter impactado sua visão sobre a psique humana e a relação entre o corpo e a mente.

8. Experiência de quase morte

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Jung teve uma experiência de quase morte em 1944, após uma cirurgia. Descrevendo uma jornada pelo Ceilão (antigo nome do Sri Lanka), ele observou a Terra de cima, reforçando sua crença na conexão espiritual e proporcionando uma visão surpreendente sobre sua própria mortalidade.

9. Morte e misticismo

(Fonte: Archive Photos/Getty Images)(Fonte: Archive Photos/Getty Images)

A morte de Jung, em 1961, aos 85 anos, foi marcada por um evento místico. Um raio dividiu a árvore onde costumava descansar, coincidindo com um sonho de despedida de um amigo. Esses eventos finais destacam a aura mística que envolveu toda a vida de Carl Gustav Jung.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.