Confira 6 das modalidades de lutas mais extremas e malucas que existem
141
Compartilhamentos

Confira 6 das modalidades de lutas mais extremas e malucas que existem

Último Vídeo

Os esportes mais populares e atuais de combate e de artes marciais são dominados por um conjunto bastante rígido de estilos, que muitas vezes resultam em partidas exaustivas que levam os participantes ao esgotamento mental e físico. Porém, existem muitos outros estilos de lutas que podem ser ainda mais extremos, mesmo que até um pouco malucos também.

Que tal participar de um campeonato de luta de travesseiros? Ou talvez você prefira se vestir como um cavaleiro com armadura para enfrentar o adversário com espada, machado e escudo? Pois esses estilos de combate realmente existem, além de muitos outros insanos e violentos. Confira mais detalhes abaixo.

6 – Hip Show

Imagine uma mistura de MMA com uma brincadeira de pega-pega, mesclada com lutas de gladiadores, prova de obstáculos e um locutor do estilo Jogos Vorazes? Coloque tudo isso em um caldeirão russo e você tem a receita perfeita do Hip Show, uma modalidade que mais parece uma bagunça de atletas brigando entre si.

O “show” da modalidade começa com vários participantes entrando em uma arena repleta de obstáculos. Eles são divididos em duas equipes e, então, a pancadaria começa com os lutadores correndo atrás dos outros e aproveitando os obstáculos, tanto para ganhar impulso quanto para encurralar os adversários.

A modalidade consiste em três rounds de dois minutos, sendo que o uso de chave de braço e estrangulamento é proibido durante os dois primeiros. Afinal, as pessoas estão lá para ver muita porrada e não querem que o show acabe logo, claro!

5 – Liga dos Cavaleiros de Luta

Pegue um show de cavaleiros medievais, do tipo Excalibur, que existe em alguns parques pelo Brasil e nos Estados Unidos, misture com uma pitada de Game of Thrones e agora imagine isso tudo sem encenação. Aqui nessa modalidade, o bicho pega de verdade!

Participantes com armaduras, capacetes, machados e espadas, tudo em estilo medieval, se enfrentam em pequenas arenas, levando duelos a níveis violentos de verdade. Porém, é claro que as armas são sem pontas ou “cegas”, senão seria um verdadeiro massacre sangrento a cada luta. De qualquer forma, os fortes golpes com certeza são sentidos pelos lutadores.

Esse tipo de combate faz parte das Ligas dos Cavaleiros de Luta (ou Knight Fighting Leagues), sendo visto mais popularmente na Europa, em especial na Polônia, país que hospeda a maior parte dos seguidores. Porém, a liga polonesa dos cavaleiros é apenas uma das várias participantes na Battle of Nations (Batalha das Nações), um campeonato mundial que acontece na Croácia.

Se você gostou dessa modalidade, é melhor ser muito bom com um escudo e ter uma armadura boa, pois chutes, socos, joelhadas e cabeçadas de capacete estão incluídos no jogo.  

4 – Liga da Guerra de Travesseiros

É isso mesmo que você leu acima. Essa modalidade leva a infantil guerra de travesseiros a um nível agressivo! O campeonato dessa modalidade incomum acontece no Canadá, sendo o único de nível profissional no mundo, por enquanto. O PFL (Pillow Fight League) é um negócio sério... Ou quase.

Apesar do título de profissional, a luta prima mesmo é pela falta de regras e tudo é feito no improviso. Os pobres travesseiros acabam ficando em segundo plano, enquanto as lutadoras se espancam com vontade.

Além disso, elas criam personagens para incorporar durante a luta, como Dinah Mite e Olivia “bomba de nêutron” (em inglês: Olivia Neutron Bomb, em alusão à atriz veterana Olivia Newton John).

3 – Campeonato de Luta em Equipes

Imagine se Anderson Silva, Victor Belfort, Minotauro e Wanderlei Silva pudessem formar uma equipe para lutar juntos contra outra equipe em uma mesma arena e todos ao mesmo tempo. Pois é mais ou menos dessa forma que o Campeonato de Luta em Equipes funciona.

O TFC (Team Fighting Championship) é uma nova variante de MMA e usa (ou pelo menos tenta usar) as mesmas regras padrão (ou seja, humilhar completamente o seu adversário de forma sangrenta), exceto por um pequeno detalhe: em vez de ser um contra um, o TFC possui equipes de cinco lutadores que vão lutar contra outros cinco.

O esporte também está sendo conhecido por outro nome: guerra de gangue. No vídeo acima, você pode conferir a pancadaria do time da Polônia contra o da Suécia. E, como você pode observar, mesmo que apenas haja um lutador restante de um time tentando “sobreviver”, a outra equipe pode se juntar pra terminar o serviço junta.

2 – Paredão russo

Russos, é claro. Mesmo que não seja necessário explicar muita coisa – pois, vindo da Rússia, já sabemos que é extremo ou bizarro –, vamos esclarecer essa modalidade para vocês. Todos nós sabemos que os russos provavelmente têm muita fúria contida e muita vodka na cabeça.

Tanto que, há séculos, por lá existem essas lutas do estilo “paredão”, chamada de Stenka na Stenku, que eram caracterizadas por multidões se enfrentando de forma sangrenta. Muitos líderes já tentaram coibir a prática, mas ela continua acontecendo, talvez agora de forma mais organizada.

As lutas de antes quase não tinham regras e podiam continuar por horas a fio. Mas, tanto antigamente quanto nas lutas atuais, ambas as "paredes" devem ter um lutador principal, que serve como um estrategista e um capitão.

Os paredões de lutadores podiam ser organizados em três ou quatro fileiras, que executavam repetidos ataques contra as “paredes” adversárias, com o objetivo de empurrá-las para fora da área da luta. Para isso, muitos golpes são necessários, além de força de impulso.

As lutas de hoje não são tão letais quanto aquelas de antigamente (em grande parte, graças aos árbitros, que mantêm o controle sobre os lutadores enlouquecidos), mas a pancadaria continua com cenas agressivas. Geralmente, são feitas em um ginásio ou campo entre duas equipes que mandam ver nos socos e pontapés e tudo mais o que for possível para derrubar o adversário enquanto os espectadores vibram.

Por outro lado, fora do circuito profissional, muitas gangues de rua na Rússia continuam utilizando a forma mais arcaica e violenta da prática, como você pode conferir nesse vídeo acima.

1 – Dambe

Historicamente praticado por homens da classe dos açougueiros, o Dambe sobreviveu até os dias de hoje. Apesar de não existirem categorias de peso formais, geralmente os concorrentes em lutas de Dambe são bastante similares em suas capacidades.

O combate dura três rounds e não há um tempo estipulado para eles. Em vez disso, os rounds acabam quando: 1) não há nenhuma atividade; 2) um dos participantes ou um juiz pede uma parada; ou 3) mão, joelho ou o corpo de um participante toca o solo.

Embora haja um torneio oficial sancionado, no qual lutadores usam algo parecido com as luvas de boxe ocidentais, em sua forma mais tradicional ou amadora, os participantes usam camadas de corda ou palha em uma de suas mãos.

A mão sem a corda é utilizada para se proteger, desviar ou agarrar o adversário, enquanto a outra manda ver nos socos e tapas. Apesar de parecer bastante violenta, a versão atual do esporte é muito menos brutal do que no passado. Isso porque a prática de mergulhar o punho em vidro moído para lutar é agora considerada ilegal. Imaginem o estrago...

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.