Atitude ou QI: qual é o mais importante?
36
Compartilhamentos

Atitude ou QI: qual é o mais importante?

Último Vídeo

Algumas pessoas simplesmente têm talento, enquanto outras precisam trabalhar duro para alcançarem o sucesso que desejam. Essa oposição entre inteligência e iniciativa aparentemente não é só uma máxima de palestrantes motivacionais.

A psicóloga Carol Dweck, da Universidade de Stanford, passou a vida inteira estudando a relação entre performance e atitude.

Entre outras considerações, Dweck descobriu que as atitudes centrais das pessoas se enquadram em uma das duas categorias: uma mentalidade fixa ou uma mentalidade de crescimento.

1

Sabe aquela história de que pessoas medíocres não enxergam que são pouco competentes? O raciocínio é até bem parecido. O que ela percebeu foi que o grupo da mentalidade fixa acredita que é o que é, que não consegue mudar — enxerga as próprias limitações, mas para por aí.

Enquanto isso, pessoas com a mentalidade de crescimento creem que, se se esforçarem o suficiente, podem melhorar.

Em outras palavras, quem tem o que ela classificou como mentalidade fixa acredita que os desafios que aparecem são mais do que o sujeito consegue lidar. Não é bem uma questão de arrogância, é quase o inverso.


Por outro lado, o outro grupo tem mais chances de ir além porque não se limita a um determinado ponto. Mesmo tendo QIs menores, essas pessoas se abrem a desafios e, para elas, toda vez que uma oportunidade aparece, é uma chance de aprender algo novo.

Basicamente, quem confia demais na inteligência acaba se acomodando.

Outro ponto importante, segundo Travis Bradberry, que escreveu um artigo no LinkedIn sobre a pesquisa, é o efeito do erro sobre cada um dos tipos de pessoas. Falhar, para alguém com mentalidade de crescimento, é aceito como parte do processo.

Como continuar crescendo?

3

Nem de longe, segundo os especialistas, essa divisão significa que os inteligentes estão fadados ao fracasso.

Entre as estratégias que podem ser usadas para manter uma carreira ascendente, eles sugerem: não se acomode! Vá até onde você acha que consegue e não pare por aí. Tomar a iniciativa, transformar a ideia em ação mesmo que desconfie das suas habilidades e conhecer as limitações são parte do processo de tomada de atitude.

E quando aquela sensação de desespero e fraqueza aparecer, respire, peça ajuda e não deixe a sensação dominar você. Pensar em algo positivo e lembrar do que você é capaz  e do quanto quer se dedicar  ajuda, e muito!

34

Acreditar em si mesmo é esperar resultados das suas ações  inclusive os ruins. Quem tem mentalidade de crescimento sabe que vai falhar, eventualmente, mas aprende a contar com essas falhas e estar preparado para elas, ser flexível com as mudanças de planos que acontecem por isso.

E não reclame! Por mais clichê que possa parecer, reclamar é um sinal de que você não está vendo o lado positivo das coisas. E pessoas com mentalidade de crescimento realmente conseguem ver!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.