Caçadora provoca polêmica pelo mundo por divulgar foto com girafa morta
1.175
Compartilhamentos

Caçadora provoca polêmica pelo mundo por divulgar foto com girafa morta

Último Vídeo

Independentemente de que a gente aprove ou não, o fato é que existem reservas na África focadas em criar animais para caça — e ganhar muito, muito dinheiro com isso —, e vira e mexe circulam notícias de caçadores que se deram mal durante seus safaris ou que geraram controvérsia por conta dos “troféus” que conquistaram. Pois o caso que vamos contar agora se encaixa nessa segunda opção e está dando o que falar.

Caçadora com girafa abatidaA caçadora com seu "troféu" (Fox News)

De acordo com Hollie Mckay, do portal de notícias Fox News, a polêmica, desta vez, gira em torno de uma norte-americana chamada Tess Thompson Talley, uma mulher do Kentucky que virou alvo de uma avalanche de críticas e mensagens de repúdio depois de postar fotos em que posa com uma girafa que ela abateu durante um safari na África do Sul. Pior... Além de matar o animal, aparentemente, a caçadora tirou a vida de um exemplar raro.

“Caçada dos sonhos”

Segundo Hollie, a caçada aconteceu no ano passado, mas a imagens só começaram a circular agora porque as fotos caíram no radar de um portal de notícias africano chamado Africland Post — que compartilhou as imagens através do Twitter. Veja:

*Em tradução livre, o texto acima diz: “norte-americana branca selvagem e parcialmente neandertal vem à África e abate uma girafa negra muito rara graças à estupidez sul-africana. Seu nome é Tess Thompson Talley. Por favor, compartilhe.”

As imagens, como você viu, mostram Tess posando cheia de orgulho ao lado do animal, um macho de 18 anos de idade e quase dois mil quilos. Nas legendas das fotos, a norte-americana teria confessado que realizou um sonho ao matar a girafa e que teve que perseguir o exemplar por um bom tempo até conseguir abatê-lo. Tess teria contado ainda que, dos 2 mil kg, ela e seus acompanhantes conseguiram aproveitar cerca de mil quilos de carne.

Polêmica

Segundo a norte-americana, a girafa já não podia mais acasalar e teria matado três machos mais jovens, contribuindo, portanto, para um declínio da população desses animais. Sendo assim, após abater o exemplar, ela, na verdade, as outras girafas poderiam continuar procriando e aumentando o número der membros do grupo. O que ela fez, de acordo com a caçadora, pode ser classificado como conservação por meio do manejo de caça.

Grupo de girafasVocê teria coragem? (Wikimedia Commons/Sharp Photography)

O especialista em vida selvagem Julian Fennessy, que é co-fundador da Giraffe Conservation Foundation, uma fundação focada na conservação desses animais, explicou que a girafa da imagem não é rara, e sim uma espécie Giraffa giraffa, comum na África do Sul, e o declínio no número de indivíduos não é decorrente da caça legal — apesar de essa atividade ter implicações éticas e morais.

Seja como for, o tweet do pessoal do Africland Post viralizou e parece ter surtido efeito, pois o que tem de gente — incluindo celebridades — “descendo a lenha” na caçadora e criticando duramente sua atitude não tá escrito! O comediante Ricky Gervais, por exemplo, compartilhou a informação de que a população de girafas sofreu um declínio de 40% nos últimos 25 anos e elas podem se tornar extintas, e nós permitimos que pessoas paguem para matá-las.

Já Debra Messing chamou Tess de assassina egoísta, vil, imoral e sem coração, enquanto outros usuários da rede social compararam seu cérebro ao de uma ameba e sugeriram que matar animais por diversão era sinal de problemas mentais sérios. E você, caro leitor, o que opina sobre esse tipo de caça?

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.