Estudante cria máscaras para ajudar deficientes auditivos

Estudante cria máscaras para ajudar deficientes auditivos

Último Vídeo

Com a enorme repercussão que o coronavírus vem tendo em território norte-americano, contando com um crescimento incrivelmente acelerado de casos sintomáticos, assintomáticos, suspeitos e óbitos no país, a utilização de equipamentos e acessórios de proteção, além, logicamente, do recomendado isolamento social, tornam-se cada vez mais essenciais para o combate à pandemia e para evitar seu alastramento local.

Porém, grupos de risco como idosos e cidadãos com complicações no organismo têm, apesar das medidas restritivas, grande possibilidade de contágio e de problemas maiores, sendo necessário o cuidado, a atenção e evitar aproximação de tais pessoas. E não poderíamos deixar de citar os casos de deficientes, que, mesmo sendo saudáveis, as barreiras impostas por suas complicações físicas podem gerar problemas de outras dimensões, especialmente nas questões envolvendo a comunicação.

(Fonte: Ashley Lawrence/Facebook)(Fonte: Ashley Lawrence/Facebook)

E foi pensando em frear o alcance do vírus e facilitar a vida de deficientes auditivos que a estudante Ashley Lawrence, de 21 anos, que cursa educação para surdos na Eastern Kentucky University, projetou uma máscara especial para o grupo de pessoas, desenvolvida em modelos transparentes que buscam permitir a leitura labial normalmente, sem esconder a boca, como ocorre com as máscaras tradicionais.

“Logo antes da pandemia as máscaras foram feitas e comercializadas para ajudar as pessoas com perda auditiva a terem acesso à boca do médico para leitura labial”, disse Ashley em postagem no seu perfil do Facebook. “Então pensei, por que não fazê-las para todos?”, completou.

(Fonte: Ashley Lawrence/Facebook)(Fonte: Ashley Lawrence/Facebook)

Segundo a jovem, a ideia surgiu após ver vídeos da produção do equipamento de proteção, onde sua intenção era manufaturar em sua casa para poder distribuí-la a parentes e colegas. Foi somente após uma longa conversa com sua mãe que Ashley conseguiu o aval para começar a fabricar as máscaras dentro de sua própria casa, algo que ganhou uma repercussão internacional rapidamente.

Atualmente, Ashley e sua mãe vêm produzindo em larga escala, já recebendo pedidos de diversos estados norte-americanos e alguns estrangeiros. É possível solicitar as máscaras através do e-mail dhhmaskproject@gmail.com ou então realizar uma colaboração financeira através do GoFundMe. Além disso, os interessados podem solicitar um tutorial para produzir suas próprias máscaras, já que a jovem fez um vídeo explicativo e detalhado e estará disponibilizando na íntegra para todos que quiserem ajudar sua iniciativa.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.