50 anos de moda fit: a evolução das roupas de academia desde os anos 70

50 anos de moda fit: a evolução das roupas de academia desde os anos 70

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Caracterizada por ter dado início a uma verdadeira revolução não apenas na moda, mas em todo o aspecto cultural da sociedade, a década de 1970 marca o século XX por ser uma das mais icônicas da modernidade, refletindo uma forma de pensamento e comportamento libertário e identitário nos mais diversos segmentos da arte e de suas tendências.

Os anos 70, conhecidos como a década das cores, trouxeram importantes ressignificações também para o estilo esportivo, abordando práticas que estavam em evidência na época, especialmente a ginástica e a aeróbica, ao apelar para os canais de mídia para poder mostrar ao público que é possível, sem discriminação, manter um estilo de vida saudável e moderno.

Roupas de exercício(Fonte: Camorify/Reprodução)

Desde então, a era colorida, simbolizada pelo fim do formalismo, preferência a estampas e iluminação, e a prática de uma ideologia mais humanitária, vem servindo como referência de estilo e moda, com muitas marcas fabricantes de moda fitness resgatando conceitos setentistas, porém adaptando-os à tecnologia atual e à evolução dos materiais.

Uma história centenária

Tendo origem no início do século XX, os uniformes de condicionamento físico eram voltados para serem usados por atletas olímpicos de alta performance, principalmente homens. Apesar de estarem mascaradas, também para mulheres, já que camisolas eram consideradas roupas adequadas para a realização de exercícios mais suaves. As vestimentas não tinham popularidade nas massas sociais, que não viam os produtos totalmente necessários para fins esportivos.

Foi apenas no início dos anos 30 que a moda fit começou a ganhar contornos mais evidentes. Mesmo não sendo divulgada como uma categoria própria, as pessoas passaram a utilizar naturalmente algumas peças mais curtas para caminhar, andar de bicicleta, tomar Sol, entre outras atividades —  já nascia aí o começo de um padrão para este tipo de vestimenta. 

A glória dos anos 70

Foi apenas com a entrada dos anos 70 e da Revolução Cultural que as roupas de exercício passaram a ser consideradas um segmento de moda. A ampla divulgação em televisão — na qual canais relacionados à atividade física interagiam com o espectador ao sugerir alongamentos, danças e preparação física — começou a chamar a atenção dos entusiastas das práticas de atividades físicas, especialmente pela sensação de bem-estar estético que as tradicionais e icônicas cores da época traziam às roupas das atrizes e dos esportistas.

Roupas de exercício(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Dessa forma, já com o público completamente fascinado pelas possibilidades que a nova moda trouxe para a sociedade e realização das atividades em si, o mercado estilístico começou a desenvolver linhas para exercícios físicos com diversos produtos para todos os estilos: agora com faixas para a cabeça, bodys, collants, tops e muito mais.

Moda em evidência, consolidada e para todos os gostos

A popularização de uma enorme gama de atividades esportivas, envolvendo exercícios localizados, individuais e coletivos, monitorados e outros, permitiu a fabricação em larga escala de roupas fitness — como nunca havia sido visto antes. A ascensão e a popularização das academias, bem como a profissionalização na Educação Física também colaboraram significativamente para o crescimento do mercado fit.

Personalizadas, focadas em estética e especialmente no conforto, na segurança e na qualidade do material, as roupas da moda fitness caíram rapidamente "nas graças do povo", sendo utilizadas até mesmo em ambientes não relacionados a exercícios, como shoppings, bares, parques e comemorações.

Exercícios físicos(Fonte: Selfit/Reprodução)

E treinar com o máximo de conforto é a meta diária da Selfit, que busca mostrar a você que o acompanhamento e a rotina de treino melhores, assim como as roupas mais confortáveis, são complementos para uma vida mais saudável.

 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.