Família faz 'rodízio' para dormir no sofá com cãozinho idoso

Último Vídeo

Assim como os seres humanos, os cachorros também ficam velhinhos: com o passar do tempo, a saúde fica mais frágil, fazendo com que eles demandem cuidados especiais. 

É o caso de Spike, um cão da raça springer spaniel inglês, que foi adotado por sua família aos cinco anos, depois de ser rejeitado por outros lares. Agora ele tem 14 e já não está muito bem de saúde: ele sofreu dois derrames. Mas continua fofo, né? Confira algumas fotos abaixo:

Fonte: @spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram
@spikethespringer/Instagram
@spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram
Fonte: @spikethespringer/Instagram

Se Spike não vai até a cama, a cama vai até o Spike

Como dissemos, esse senhorzinho das fotos sofreu dois derrames e ficou até sem andar, por um tempo. Nos primeiros dias, a família o carregou para todo lado, mas Spike também é bem valente e acabou recuperando os movimentos. 

Mesmo assim, subir ou descer as escadas da casa da família ainda é perigoso para ele. O problema é: Spike sempre achou um jeitinho de invadir o quarto de seus pais, para dormir debaixo das cobertas com eles. A família sabia que a fraqueza e idade não iriam impedir o cãozinho de tentar subir as escadas toda noite para deitar com seus humanos. 

A solução, então, foi colocar um portão nas escadas e arrumar um sofá-cama na parte de baixo da casa, para deixá-lo feliz, e assim, os membros da família se revezam para dormir com o cão e se certificar de que está bem. Segundo os tutores, Spike sempre finge que não gostou de ter que dividir seu espaço. Mas assim que alguém se deita, o cachorro se aproxima e gosta de ficar abraçadinho, em especial pela manhã. Fofo, né?

@spikethespringer/Instagram
@spikethespringer/Instagram
@spikethespringer/Instagram
@spikethespringer/Instagram

Catherine Morris, uma das donas, contou ao portal The Dodo que seu pai é a pessoa mais apegada ao cão na família. Como o animal ainda está muito fraco, o pai de Catherine leva água e comida para ele no sofá — aproveitando também para se certificar de que ele está tomando todos os seus remédios. Ela afirma que eles fazem tudo porque o amam e ficam felizes por tê-lo na família. 

“Esperamos ter compensado o começo de vida não-tão-bom que ele teve dando todo amor do mundo”, disse Catherine em uma entrevista. Eles estão certos, né? Nós temos que cuidar dos nossos amigos! E você: o que já fez para cuidar do seu cão? Conte para nós na seção de comentários!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.