'Santuário nazista' era esconderijo de traficantes de armas

Último Vídeo

Após quase um ano de investigações sobre um poderoso esquema de tráfico de armas na Europa, a polícia espanhola foi levada nesta semana a um dos depósitos utilizados pelos contrabandistas, identificado na região da Andaluzia, na costa sul da Espanha. No local, foram encontrados diversos objetos incriminadores, incluindo artefatos relacionados ao nazismo.

Segundo reportado pela Newsweek, o armazém da Andaluzia era um verdadeiro santuário dedicado a Adolf Hitler, com a presença de uniformes, emblemas e medalhas nazistas. Além disso, parte do local estava enfeitado com quadros e retratos nazistas, e manequins a caráter estavam espalhados por todo o seu interior, de forma organizada e bem distribuída como se fosse um museu das tropas alemãs.

O prédio havia sido aparentemente alugado por um grupo de três homens, sendo dois alemães e um britânico. O trio é suspeito de liderar um dos maiores esquemas de modificações e comercialização de armas ilegais em todo o continente europeu, realizando atualizações de munição e no sistema automatizado e também falsificando números de séries dos equipamentos.

(Fonte: Guarda Civil Espanhola / Reprodução)
(Fonte: Guarda Civil Espanhola / Reprodução)

As investigações sobre as atividades dos contrabandistas direcionaram as autoridades à Málaga, outra região da Espanha, onde supostamente as armas são modificadas em uma oficina secreta para logo em seguida serem transferidas para o depósito nazista, dando início ao processo de distribuição às mulas e grupos armados. Quanto aos donos do armazém, os três já foram acusados de tráfico de drogas e falsificação de documentos e um deles possui ligações com o movimento neonazista.

Todos os caminhos levam à Andaluzia

Nos últimos anos, o estreito da Andaluzia, que liga a Espanha à África, tornou-se polo de ação de contrabandistas e traficantes de drogas, com um aumento substancial no número de armas de fogo e munições. Dessa forma, a Inteligência espanhola logo relacionou o território a um dos alemães que vivia no país com identidade falsa, e os rastros levaram ao santuário de Hitler.

No armazém, foram encontrados 22 rifles de assalto AK-47, oito metralhadoras e 121 armas de curto alcance, além de quase 10 mil balas e três quilos de explosivo. A polícia também acredita que as armas foram compradas de traficantes do leste europeu e chegariam em Costa del Sol e Campo de Gibraltar.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.