Seja o primeiro a compartilhar

Topsy: a primeira execução filmada de um animal na História

Em 4 de janeiro de 1903, um elefante foi queimado em público em frente a uma plateia alvoraçada pelo momento em que fumaça se ergueria da pele do animal. Mas não era qualquer elefante, tampouco qualquer tipo de morte, porque era a primeira execução filmada de um animal na História — e isso mudou tudo.

Topsy nasceu na Ásia em 1875 e foi contrabandeada para a América ainda bebê, sem nem ter tido tempo de aproveitar a vida na natureza e perto de sua família. Chegando em Nova York, após uma longa viagem abandonada em um navio, ela foi transferida para o circo do magnata do entretenimento Adam Forepaugh, que a colocou em exibição logo em seguida, enquanto se gabava falsamente para imprensa que havia encontrado "o primeiro elefante nascido nos Estados Unidos".

Uma triste trajetória

(Fonte: Wikipedia/Reprodução)(Fonte: Wikipedia/Reprodução)

Acuada, a elefanta interpretou muito bem por anos seu papel de obediente, porém, algum tempo mais tarde, ela começou a desenvolver uma reputação de um "animal ruim". Em 28 de maio de 1902, um ano antes de encontrar seu destino diante de pessoas ávidas por seu fim, ela matou o trabalhador de circo chamado J. Fielding Blount após agarrá-lo com sua tromba e jogá-lo no chão.

Ninguém sabe de fato o que aconteceu entre o animal e Blount. Alguns especulam que ele tenha sido atacado porque ameaçou, de alguma forma, a elefanta com seu comportamento — ele geralmente estava bêbado.

Foi dessa forma que Topsy terminou no Luna Park, em Coney Island, quando o Forepaugh Circus simplesmente abriu mão dela. Lá, ela sofreu com o treinador William Alt, que a maltratou tanto a ponto de arrancar sangue de seu rosto e flancos.

E apesar de Alt ter sido preso por abuso, os jornais continuaram a culpar Topsy através de manchetes sensacionalistas que instigavam o terror, como a do The New York Times que dizia: “Elefante aterroriza a polícia de Coney Island”. Foi assim que decidiram matar Topsy, e que chegaram até Thomas Edison.

Sem volta

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

A princípio, a elefanta seria enforcada, porém, a Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra os Animais se opôs, alegando que o método era "desnecessariamente cruel". Tendo como histórico a Guerra das Correntes, travada por Nikola Tesla e Thomas Edison, ambos desesperados em mostrar que a corrente alternada era muito mais perigosa do que a corrente direta, eletrocutando, assim, vários animais — a Sociedade decidiu que esse método seria uma maneira mais "humana" de pôr fim à vida de Topsy.

Uma vez que ninguém antes havia eletrocutado um elefante, ficou decidido que a morte de Topsy seria uma combinação de envenenamento, estrangulamento e eletrocussão. Então ela foi alimentada com cenouras misturadas com cianeto e posicionada sobre sandálias de cobre condutoras de eletricidade.

(Fonte: The Hatching Cat/Reprodução)(Fonte: The Hatching Cat/Reprodução)

A gravação de Topsy torrando em praça pública foi a oportunidade perfeita para que Edison provasse a letalidade da corrente em um dos maiores animais terrestres. Contudo, é improvável que ele tenha participado de maneira direta em toda execução. Acredita-se que tudo foi uma grande conveniência para ele, ainda mais após o fracasso da Guerra das Correntes, e visto que os jornais e outros documentos sobre a morte da elefanta não fazem nenhuma correspondência a ele.

Aquela foi a primeira vez na História que um animal foi filmado sendo executado, e o começo de uma nova era para a sociedade no quesito tortura aos animais e como isso poderia ser encarado como uma forma de entretenimento altamente lucrativo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.