Seja o primeiro a compartilhar

Carl Emil Pettersson: de marinheiro a rei de uma ilha canibal

Nascido em uma comunidade rural ao norte de Estocolmo em 1875, Carl Emil Pettersson saiu de casa aos 17 anos para levar uma vida de marinheiro a bordo de navios mercantes, deixando sua família e amigos sem notícias por 15 longos anos.

Quando surgiu na soleira da porta de sua mãe em sua cidade natal, com 32 anos, ele já havia vivido anos no sudoeste do Pacífico e também passado por vários naufrágios, sendo o de 1906, em que ele acabou na Ilha Tabar, o pior deles. Isso porque o local era habitado por canibais, com os quais ele, surpreendentemente, se deu muito bem. Tanto que não só estava vivo para contar a história quanto havia se tornado o líder deles.

Mas como um forasteiro, nada canibal, simplesmente assume essa posição ao aportar em um território totalmente desconhecido?

O forasteiro

(Fonte:  Wikimedia Commons)(Fonte:  Wikimedia Commons)

O navio cargueiro sueco Oakhaven naufragou em 25 de dezembro de 1906, enquanto navegava de Sydney, na Austrália, para o arquipélago de Bismarck. Carl foi o único que sobreviveu tempo o suficiente para chegar à Ilha Tabar, na Província da Irlanda, atual Nova Guiné, na época habitada por canibais.

No entanto, Carl não era qualquer marinheiro, mas sim do tipo empreendedor, que fazia uma limonada de um limão. Assim que foi recebido por canibais hostis na areia da praia, ele os convenceu a levá-lo para conhecer seu governante, o então Rei Lamry, com quem usou de toda sua lábia para seduzi-lo com a proposta de torná-lo rico, colocando a própria vida em troca, caso não desse certo.

A proposta era aproveitar o clima e o solo da ilha para produzir cocos, e todo o discurso de Carl não apenas seduziu o rei como o impressionou. Sortudo, o marinheiro naufragado conseguiu fazer o negócio dar certo, ganhando rapidamente a confiança e admiração do rei.

A ascensão

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Mas não foi apenas nas graças de Lamry que Carl caiu. A filha do rei, a princesa SSingdo-Misse, ficou apaixonada pelo marinheiro sueco, que deixou claro que seus sentimentos eram recíprocos.

O rei abençoou a união e o casal formou uma família com 9 filhos. Após a morte de Lamry, Carl ascendeu ao trono de Tabar, sendo nomeado Rei Carl, o Primeiro. Nesse ínterim, ele viajou várias vezes de volta à Suécia para negócios e também para contar suas histórias na ilha canibal que governava.

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Foi só em 1913 que a verdadeira aventura que era a vida de Carl ficou famosa, quando o diplomata sueco Conde Brigen Moerner visitou Tabar e fotografou o marinheiro sueco e sua família. Com isso, a autora sueca Astrid Lindgen escreveu a série de livros infantis Pippi Longstocking, inspirada em sua vida.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.