(Fonte da imagem: Reprodução/SpaceX)

A SpaceX, primeira empresa de transporte espacial comercial a conseguir lançar — e trazer com segurança — uma nave em órbita, anunciou que irá enviar uma nave à EStação Internacional no dia 30 de abril. Esta será a primeira acoplagem espacial privada com a ISS.

Os planos fazem parte do programa COTS 2/3 — sigla em inglês para um programa de serviços comerciais de transporte orbital —, e a importância do lançamento vai muito além do que simplesmente viabilizar e baratear o transporte espacial. Na verdade, a missão estará transportando na bagagem uma pesada carga política.

Missão política

Para o congresso norte-americano, o sucesso da missão pode significar uma opção viável para o trânsito de astronautas e equipamentos até a Estação Internacional, além de permitir que no futuro a NASA firme parcerias com empresas privadas para a realização do transporte orbital. Esta ação pode, inclusive, se transformar na base para um programa de voos tripulados ou não da agência espacial.

O orçamento da NASA para o ano que vem será votado em novembro e deve incluir fundos para parcerias entre a agência e empresas privadas para a realização do transporte orbital. Isso também permitiria o transporte de humanos em voos espaciais comerciais, além de ajudar a justificar o investimento que a NASA pretende fazer para a realização desses lançamentos.

(Fonte da imagem: Reprodução/SpaceX)

Transporte espacial mais barato

A maioria das naves utilizadas para essas missões não é tripulada e se destrói na atmosfera. Entretanto, as naves desenvolvidas pela SpaceX são reutilizáveis, permitindo que a empresa cobre da NASA apenas U$S 133 milhões por “entrega”, muito menos do que os U$S 300 milhões necessários para construir naves que se desintegram a cada viagem.

Embora o voo anunciado deva servir para testes de manobras e acoplagem com a Estação Internacional, a SpaceX também espera poder utilizar suas naves para realizar o reabastecimento da estação e de outros foguetes, em um projeto de U$S 3,2 bilhões.

Eles pretendem realizar o primeiro desses lançamentos ainda em julho deste ano e já contam com 12 voos programados. Somando todos eles aos já realizados anteriormente, a SpaceX contará com 16 lançamentos não tripulados em seu currículo até 2015.