Agências espaciais unem forças com o objetivo de construir uma base na Lua
193
Compartilhamentos

Agências espaciais unem forças com o objetivo de construir uma base na Lua

Último Vídeo

Embora Marte tenha se transformado no queridinho do momento quando o assunto são as missões tripuladas ao espaço, a Lua voltou a entrar no radar dos cientistas. Só que, de acordo com o pessoal do site Futurism, em vez de apenas enviar astronautas para uma visitinha rápida, o objetivo desta vez é construir uma base espacial no satélite — e a Administração Espacial Nacional da China (CNSA) e a Agência Espacial Europeia (ESA) anunciaram que estão dentro dessa empreitada.

Unindo forças

Segundo o Futurism, faz algum tempo que a ESA está de olho nos progressos conquistados pelos chineses que, apesar de terem um programa espacial relativamente novo — comparado ao de outras potências mundiais —, conseguiram grandes avanços desde a sua primeira missão tripulada ao espaço, em 2003.

Na verdade, existem vários projetos relacionados com a construção de uma colônia lunar

Atualmente, a CNSA está se preparando para enviar uma missão à Lua até o final do ano para a coleta de amostras, e mandar outra já no ano que vem para a obtenção de mais materiais, só que na face oculta do satélite. Mas os chineses querem mais — e os europeus, que vêm acompanhando seus esforços de perto, decidiram dar início a uma parceria internacional com o objetivo de construir uma base lunar até 2030.

Caso você tenha ficado curioso sobre o motivo de estabelecer uma base no satélite, ela serviria como um excelente ponto de partida para futuras viagens ao espaço, para a exploração da mineração espacial e para o desenvolvimento e comercialização de novas tecnologias, entre outras coisas.

Lua volta à cena

De acordo com o Futurism, não são apenas os chineses e os europeus que estão de olho na Lua. Outras agências espaciais — entre elas, a japonesa (JAXA), a russa (Roscosmos) e a norte-americana (NASA) — também estão interessadas em dar uma chegada no satélite, tanto que a maior parte das missões em desenvolvimento no momento está focada em levantar informações e testar sistemas e tecnologias para o possível estabelecimento de uma colônia humana por lá.

Tem bastante gente de olho em estabelecer uma base na Lua

O legal é que, quando cientistas unem forças com um objetivo comum, o resultado é sempre muito benéfico para todos. A Estação Espacial Internacional e o Grande Colisor de Partículas (CERN) — criados a partir da parceria de 11 e 22 estados-membros, respectivamente — são exemplos do que a Ciência pode conquistar quando existe colaboração. Aliás, vale destacar que os progressos alcançados por meio da cooperação internacional não se restringem apenas à exploração espacial ou à Física!

Muitos avanços no desenvolvimento de novos medicamentos, vacinas e ajuda humanitária, entre outros, foram conquistados por meio de parcerias internacionais, sem falar que essas colaborações também têm o poder de romper barreiras e estimular a conversa entre nações que, por uma razão ou outra, não mantêm diálogos muito amigáveis.

Segundo o Futurism, os cientistas da NASA, por exemplo, são proibidos de colaborar com os chineses — e é por essa razão que os astronautas da China não podem ir à Estação Espacial. Contudo, como existem muitos interesses envolvidos na construção de uma base na Lua, o apoio oferecido pelos europeus pode ajudar a, digamos, amolecer o coração dos norte-americanos (que não vão querer ficar de fora!) e estimular novas colaborações.

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscreva em nosso canal no YouTube.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.