Musa de uma das obras mais polêmicas da História pode ter sido identificada
154
Compartilhamentos

Musa de uma das obras mais polêmicas da História pode ter sido identificada

Último Vídeo

Imagine só o escândalo que o quadro que você poderá ver logo mais não causou! Criada em meados do século 19 pelo pintor francês Gustave Courbet, a obra — batizada de L'Origine du monde ou A origem o mundo em tradução livre — não só mostra uma mulher nua em uma pose insinuante, o que, por si, já seria algo bastante polêmico na época, como consiste em um “close” de suas partes íntimas.

O rosto da modelo não é visível no quadro, nem as suas pernas ou braços — e o artista jamais revelou a identidade da ousada mulher, omissão que, obviamente, gerou décadas e décadas de debates entre estudiosos e especialistas (curiosos em descobrir, quem, afinal, seria a dona da “periquita”).

Pois, de acordo com Bernadette Deron, do site All That Is Interesting, o historiador Claude Schopp — um renomado especializado no famoso romancista francês Alexandre Dumas — acredita ter finalmente solucionado o mistério de quem foi a mulher que pousou para Courbet. Confira o "polêmico" quadro a seguir:

Olhe o infame — em exposição no Musée d'Orsay, em Paris (All That Is Interesting/Cesar Lucas Abreu/Cover/Getty Images)

Evidências

Uma curiosidade envolvendo a enigmática genitália é que, durante anos, a galera investigando a pintura apontou como possível candidata a irlandesa Joanna Hifferman, modelo que, além de posar para Courbet em diversas ocasiões, também foi sua amante. No entanto, o problema com essa suspeita em especial é que Joanna era ruiva e, como podemos ver claramente no quadro, esse não é o caso da pessoa retratada. Confira abaixo um retrato da modelo:

Retrato de mulherJoanna Hifferman e suas madeixas ruivas (Wikimedia Commons/Gustave Courbet)

Então, fuça daqui, revira de lá, e eis que Claude diz ter encontrado evidências de que a modelo da pintura seria, na verdade, uma dançarina de balé parisiense chamada Constance Queniaux — a moça de aparência recatada que você pode ver nas fotos abaixo:

Retrato antigo de mulherConstance Queniaux

Com relação às tais evidências, o quadro teria sido pintado a pedido de um diplomata otomano chamado Halil Serif Pasha — que teria solicitado que Courbet pintasse uma mulher nua em seu estado mais “bruto” — para que a peça fizesse parte de sua coleção de obras eróticas.

Acontece que Queniaux era amante de Pasha — e Claude encontrou por acaso uma correspondência entre Dumas e Amandine Aurore Lucile Dupin — baronesa de Dudevant que também era romancista e escrevia sob o pseudônimo de “George Sand” — em que a pintura é mencionada e na qual fica claro que havia uma conexão entre Queniaux e Courbet.

Outros historiadores que analisaram as alegações de Claude concordam que, com as informações que ele encontrou, existe uma chance muito grande — de 99% de possibilidade! — de que a sua teoria esteja correta. Para encerrar o caso completamente, só se um dos envolvidos pudesse confirmar a descoberta, mas, para isso, seria necessário viajar ao passado, uma vez que todos faleceram há muito tempo.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.