Seja o primeiro a compartilhar

Qual é o mistério do rancho Skinwalker?

Localizado no sudeste de Ballard, no Utah (Estados Unidos), o Rancho Sherman, mais conhecido como Rancho Skinwalker, parece ter saído diretamente do conto A Cor que Caiu do Céu, um clássico do terror lovecraftiano. Com aproximadamente 207 hectares, a área é assombrada por acontecimentos inexplicáveis desde a época em que os missionários espanhóis andavam por lá.

Há anos, cientistas e jornalistas, como George Knapp, tentaram atribuir uma explicação científica e plausível para os eventos de Skinwalker, porém nenhum deles conseguiu contornar a palavra “sobrenatural”.

O incidente dos Sherman

(Fonte: Timber Creek Talon/Reprodução)
(Fonte: Timber Creek Talon/Reprodução)

De 1934 até 1994, Kenneth e Edith Meyers foram os proprietários do rancho até venderem para o casal Terry e Gwen Sherman, cujo sonho era morar em uma casa de campo. Um dia depois de terminarem a mudança e terem estabelecido os primeiros animais, o casal foi surpreendido por uma criatura que parecia um lobo ou coiote e espreitava o curral.

Quando o animal atacou um bezerro e o arrastou, Terry atirou nele com uma pistola e depois com um rifle, mas isso não o parou. Por incrível que pareça, o animal seguiu seu caminho sem nem parecer ter sido atingido pelo disparo e se afastou para a floresta lentamente.

A partir disso, uma série de eventos estranhos começaram a acontecer: rugidos esquisitos vindo da floresta, luzes pairando e zunindo no céu durante a madrugada, com luzes azuis muito fortes sobre todo o terreno. No entanto, tudo se tornou ainda mais perturbador quando os cães de estimação surgiram incinerados certa manhã e as vacas desmembradas cirurgicamente — os membros delas foram arrumados sobre a grama como que em um quebra-cabeças.

(Fonte: IMDb/Reprodução)
(Fonte: IMDb/Reprodução)

De acordo com uma matéria do Desert News, datada de 1996, a família relutou muito até ceder à possibilidade de que tudo aquilo se tratava de uma ação sobrenatural. “Não era possível, simplesmente não fazia sentido para nós”, revelou Terry Sherman.

Após 3 meses que a matéria tinha ido ao ar, o casal vendeu o rancho para o bilionário Robert Bigelow, por US$ 200 mil. Esse homem tinha uma verdadeira obsessão por tudo que envolvia paranormalidade e ufologia – que era a teoria mais especulada pela mídia. Bigelow era tão fissurado pelo assunto que chegou a fundar o Instituto Nacional para a Ciência de Descobertas (NIDS), que era basicamente a sua versão do Arquivo X.

Escavando fundo

(Fonte: History /Reprodução)
(Fonte: History /Reprodução)

Foi em Skinwalker que Bigelow estabeleceu a sede do NIDS e criou um sistema de vigilância de 24 horas por dia, com o intuito de capturar alguma dessas alegações paranormais. Entretanto, ele foi incapaz de coletar qualquer evidencia física que fosse significativa e pudesse embasar todo o histórico obscuro e abstrato do rancho, pois todos os equipamentos acabavam sofrendo de funcionamento ruim toda vez que algo acontecia. Eles usaram apenas as interferências repentinas, quedas de sinal e a maneira como a aparelhagem era danificada para apoiar a teoria de fenômenos paranormais.

Bigelow chegou a escrever o livro Hunt for the Skinwalker: Science Confronts the Unexplained in a Remote Ranch in Utah, no qual cientistas e pesquisadores deram seus depoimentos sobre os acontecimentos. Contudo, cerca de 3 anos depois, aparentemente frustrado por não conseguir registrar nada significativo, ele decidiu vender o rancho para um proprietário que, a princípio, não quis se identificar.

(Fonte: History/Reprodução)
(Fonte: History/Reprodução)

O acesso a Skinwalker foi totalmente bloqueado, o perímetro da propriedade foi cercado com câmeras e arames farpado, e o local renomeado para Rancho Skinwalker. Um tempo depois, Brandon Fugal, um magnata do mercado imobiliário, apresentou-se como o novo proprietário das terras. Ele decidiu escolher aquele nome para o rancho a fim de fazer uma alusão às skinwalkers — bruxas malignas que dominam a habilidade de se transformar em diferentes criaturas, de acordo com o folclore nativo americano da cultura navajo, muito presente naquela região do Utah.

Segundo a historiadora Sondra Jones, autora de Being and Becoming Ute, os Navajo eram considerados povos mais agressivos, pois tomavam e transformavam em escravos as pessoas da tribo de Ute. A lenda local também sugere que a disputa territorial entre as duas tribos consistia em amaldiçoar a terra uma da outra, na intenção de libertar as skinwalkers que lá rondavam.

Em contraponto, Betsy Chapoose, Diretora de Direitos Culturais e Proteção da Tribo Ute, disse que nunca chegou a ler sobre alguma maldição navajo sendo lançada sobre terras inimigas, apesar de a base histórica de cada lenda e cultura daquele povo ser muito confusa e nebulosa em geral.

A condenação de anos

(Fonte: WTAJ/Reprodução)
(Fonte: WTAJ/Reprodução)

O astrofísico e cientista de dados Dr. Travis Taylor disse em entrevista que “tudo o que acontece no Universo é normal para o Universo”, porém admite que de fato fenômenos inexplicáveis cercam o Rancho Skinwalker, apesar de ele não gostar do termo “paranormal” para descrevê-los.

Além disso, o rancho não é o único local onde as pessoas se queixam sobre a aparição de indícios ufológicos, pois toda a Bacia Uintah está associada a estranhos eventos há mais de 2 séculos. O professor de ciências, Joseph Hicks, falecido no início de 2020, investigou mais de 400 avistamentos de OVNIs na Bacia desde o início da década de 1950. Muitos também apontam o lugar como um ótimo sítio de experimentação governamental, exatamente por causa de seu histórico.

Depois que o local foi “contaminado” por um caráter de lenda urbana e notícias sensacionalistas, ficou cada vez mais difícil de conseguir estudar a terra de maneira totalmente científica e imparcial. O History Channel tentou fazer isso lançando uma série com uma equipe de especialistas usando termografia, drones e tecnologia a laser para examinar cada acre do rancho, mas parece que a premissa de algo mais técnico e menos fantasioso se perdeu ao longo do caminho.

Sendo assim, a pergunta ainda permanece: o que há de errado com o Rancho Skinwalker? Será que tudo não passa de uma invenção? Será que mais uma vez não passou de uma conspiração para que o local fosse apenas incluso em rotas turísticas e ganhasse certificações por isso? Ou será que os fenômenos são tão anômalos e diferentes que estão além de uma explicação? De qualquer forma, a pergunta inicial se refaz.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.