Naufrágio de iate brasileiro cria imagens belíssimas na Antártida
1.660
Compartilhamentos

Naufrágio de iate brasileiro cria imagens belíssimas na Antártida

Último Vídeo

Você já deve ter visto a foto de destaque desta matéria em muitos sites por aí, mas você sabia que o navio afundado é brasileiro? Trata-se do iate Mar Sem Fim, do jornalista e empreendedor João Lara Mesquita, que afundou na Baía Maxwell, na Antártida. Mesquita filmava um documentário na região, quando a embarcação foi atingida por ventos de até 100 km/h e sucumbiu no gelo em 7 de abril de 2012.

Enquanto o iate estava preso no gelo, antes de afundar, os quatro tripulantes conseguiram mandar mensagem de socorro para a Marinha chilena, que enviou um resgate apenas dois dias depois – o local do naufrágio fica a cerca de 1,2 mil quilômetros ao sul do extremo da América do Sul.

Apesar de a tripulação ter sido salva, o mesmo não aconteceu com o Mar Sem Fim: ele afundou e posteriormente congelou nas águas polares da baía. Com isso, o casco acabou quebrando, devido ao efeito expansivo da matéria quando submetida a temperaturas muito baixas.

Iate Mar Sem Fim afundou depois de enfrentar ventos fortíssimos na Baía Maxwell

O iate ficou repousado no fundo do mar, a cerca de 10 metros de profundidade – por isso, facilmente visto da superfície. No início de 2013, quase 1 ano após o naufrágio, foi iniciado o processo de recuperação do barco, coordenado pelo próprio dono. Com ajuda de boias e fortes correntes, o Mar Sem Fim voltou à superfície e foi rebocado até a costa.

Infelizmente, não havia chance de restauração. Como o casco estava quebrado e o iate ficou muito tempo embaixo da água, sua deterioração foi visível. Mesquita ao menos pôde resgatar alguns pertences e equipamentos que estavam submersos havia quase 1 ano, tendo que apelar para o seguro da embarcação, avaliada em US$ 700 mil.

Resgate mostrou que avarias eram irreversíveis

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.