A ideia de um “amor à primeira vista” pode até parecer piada para alguns, mas cientistas conseguiram provar que, na verdade, isso realmente acontece. E muito mais rápido do que podiamos imaginar.

Usando equipamentos de ressonância magnética, os pesquisadores, que tinham como objetivo descobrir como o amor afeta nosso cérebro, concluíram que o tempo necessário para que duas pessoas se apaixonem é de um quinto de segundo; quase tão rápido quanto conseguimos pensar.

Segundo o Discovery News, os pesquisadores também descobriram que se apaixonar tem um efeito semelhante ao de usar cocaína: o cérebro libera vários químicos que induzem a pessoa à euforia, como a dopamina, a oxitocina, a adrenalina e a vasopressina.

E quanto àquela história de que uma pessoa mudou ao se apaixonar? Também é verdade. Quando uma pessoa entra no estado de “amor”, sua representação mental, suas metáforas e até mesmo sua imagem corporal são afetadas.