(Fonte da imagem: Thinkstock)

Já aconteceu com você de ouvir uma música qualquer e, depois de algum tempo, perceber que você não consegue mais tirar ela da cabeça? Você até tenta pensar em outras coisas, mas a tal canção acaba voltando e, muitas vezes ela chega a assombrar você durante vários dias. Essas músicas são conhecidas como “Earworms” — ou “vermes de ouvido” em tradução livre — e o pessoal da BBC publicou um artigo explicando como é que elas atuam.

Segundo a BBC, as músicas que costumam se instalar em nossos cérebros como verdadeiros parasitas — ainda que sejam péssimas e nos irritem profundamente — normalmente são composições simples e com ritmo repetitivo, capazes de fisgar a nossa atenção por conterem algo peculiar ou fora do comum. Essas características as tornam fáceis de serem memorizadas e, consequentemente, lembradas mais tarde.

Outro aspecto interessante sobre as músicas parasitas é que, mesmo depois que conseguimos nos esquecer delas, basta que alguma pessoa mencione a canção ou que escutemos um apenas um trechinho dela para que ela volte a ressoar em nossas mentes. O que acontece é que, cada vez que ouvimos uma música, o nosso córtex auditivo é ativado, e, se a canção nos é familiar, basta escutar uma breve referência dela para despertar a sua memória musical.

Exorcismo musical

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Os especialistas garantem que não existe motivo para pânico, pois todo mundo — mais cedo ou mais tarde — acaba sofrendo com essas canções malditas. Aliás, eles também garantem que existem algumas técnicas que podem nos ajudar a exorcizar as músicas parasitas, mesmo que seja apenas temporariamente.

Uma dica é tentar distrair o seu córtex auditivo com alguma outra coisa, ou seja, experimente ouvir uma música diferente para tentar esquecer a que grudou na sua cabeça. Outro conselho é escutar a canção inteira diversas vezes, já que normalmente o que nos atormenta são apenas alguns trechos específicos. Além disso, você também pode ouvir uma música com um ritmo parecido ao da que você quer esquecer, no intuito de alterar a memória musical original.