Como enganar seu cérebro para fazer bons hábitos ficarem para sempre
1.118
Compartilhamentos

Como enganar seu cérebro para fazer bons hábitos ficarem para sempre

Último Vídeo

Você gostaria de incorporar à sua rotina alguns hábitos como o de praticar atividades físicas, estudar mais ou se dedicar à leitura, mas não consegue vencer a preguiça? Pois segundo Mikael Cho — em um artigo para o The Next Web — existe um truque que podemos usar para enganar o cérebro e fazer com que ele trabalhe a nosso favor para que deixemos de postergar essas atividades.

Segundo explica Cho, qualquer hábito que queiramos introduzir em nossas vidas pode ser dividido em uma sucessão de etapas. Assim, imagine o ato de ir para a academia, por exemplo: o processo se divide em vários passos, como o de levantar do sofá, trocar de roupa, preparar uma mochila com as suas coisas, se locomover até a academia, fazer o seu treino e, em alguns casos, tomar banho antes de voltar para casa. Deu preguiça só de pensar em tudo isso?

Barreiras cerebrais

De acordo com Cho, acontece que o nosso cérebro considera todas essas etapas como barreiras e, apesar de sabermos que a prática de exercícios faz bem para a saúde, nossas próprias mentes nos sabotam, fazendo com que nos questionemos se realmente vale a pena passar por todos esses passos só para ir até a academia. Desta forma, na verdade não é que detestemos algumas atividades, mas sim o processo envolvido para a sua realização.

O problema é que a resposta não está em apenas eliminar etapas do processo para torná-lo mais simples e, assim, mais atraente para o nosso cérebro. Mesmo que fizermos isso, a nossa mente ainda encontrará formas de nos sabotar. A não ser — é claro — que a gente consiga enganá-la!

Efeito Zeigarnik

Segundo Cho, para isso podemos tirar proveito do chamado “Efeito Zeigarnik”, baseado no fato de que nos lembramos mais de tarefas que deixamos pela metade do das que já concluímos. Esse efeito faz com que o nosso cérebro deseje ardentemente finalizar um projeto depois que ultrapassamos determinado ponto de sua execução. Sendo assim, Cho aponta que um dos segredos é iniciar a atividade que desejamos que se torne um hábito pouco a pouco.

Então, se você deseja criar o hábito de ler mais, por exemplo, comece lendo alguns parágrafos por dia, e depois vá aumentando a quantidade de parágrafos até você terminar uma página inteira e assim por diante. Através dessa técnica, você só precisará reunir força de vontade suficiente para dar o primeiro passo, e o processo que desencadeia a formação do hábito deve ocorrer naturalmente.

Transforme a sua mente em aliada

E como conseguir reunir ânimo dar o primeiro passo? Voltando ao exemplo da academia, conforme sugere Cho, podemos fazer isso identificando em qual etapa do processo nossa mente começa a nos sabotar, nos convencendo de que o esforço não vale a pena. Assim, preste atenção em quando é que isso acontece — se é quando você começa a se trocar, veste os tênis ou enquanto prepara a mochila.

É nesse momento que precisamos enganar a mente e forçar pensamentos positivos. No caso de que você deseje tornar a prática de exercícios em um hábito, aqui é a hora de se automotivar e se convencer de que consegue ir mais longe e fazer mais. Por outro lado, se o que você quer é acordar sem ativar a função soneca do despertador, por exemplo, assim que o alarme tocar levante-se e pense em algo que você realmente deseja fazer durante o dia.

Uma vez você consiga identificar em qual etapa do processo o seu cérebro cria o bloqueio para que você finalize determinada atividade, comece a usar a própria mente como sua aliada. Dessa forma, será muito mais fácil espantar a preguiça e transformar determinadas tarefas em hábitos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.