Novo exame facilita o diagnóstico de intolerância à lactose
13
Compartilhamentos

Novo exame facilita o diagnóstico de intolerância à lactose

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Crédito: Shutterstock

A intolerância à lactose é um distúrbio que acomete cerca de 40% da população brasileiras e não tem cura. Por esse motivo, o diagnóstico e a prevenção são ferramentas importantes para minimizar os desconfortos. O ideal é que os portadores da intolerância evitem produtos com leite in natura ou seus derivados, preferindo laticínios industrialmente modificados para conter um teor reduzido de lactose ou, em alguns casos mais raros, a exclusão definitiva deste grupo de alimentos da dieta.

A lactose é o açúcar do leite que é transformado em glicose e galactose após a ação de uma enzima chamada lactase. A falta ou deficiência na produção de lactase faz com que esse açúcar chegue até o intestino grosso e seja fermentado por bactérias que causam desconfortos e até mesmo sintomas nocivos à saúde.

“O ser humano, na condição de mamífero, nasce produzindo lactase e perde progressivamente a capacidade de quebra da lactose, logo após os primeiros anos de vida. Caso apresente sintomas como gases, dores, distensão e cólicas abdominais, náuseas, vômitos, diarreia (ou, às vezes, constipação) e sinais de má digestão após o consumo de leite ou derivados, desconfie da intolerância à lactose”, alerta o patologista clínico Armando Fonseca, diretor-médico do DLE, laboratório especializado em exames de alta complexidade e pioneiro em realizar este tipo de teste no país.

Para facilitar a vida daqueles que sofrem com desconfortos após a ingestão de laticínios, o Laboratório DLE acaba de anunciar a realização de um novo exame que pode detectar se o indivíduo apresenta ou não as condições genéticas que caracterizam a intolerância à lactose, já que o transtorno que pode afetar mais de 75 milhões de brasileiros.

O exame é feito a partir da coleta da saliva e células por meio da raspagem da mucosa bucal com uma haste plástica especial. Até então, esse tipo de exame era realizado apenas no exterior. Hoje, ele representa uma alternativa ao exame convencional que é feito a partir da ingestão de copos de leite ou lactose concentrada, o que costuma gerar efeitos desagradáveis nas pessoas afetadas pelo problema durante e após o teste.

Crédito: Shutterstock

“O novo exame, além de preciso, por avaliar o DNA do paciente, não é invasivo e a coleta é tão simples que pode ser realizada em casa”, explica Fonseca.

Pessoas que sofrem de intolerância à lactose sentem desconfortos – que vão desde enjoos leves, cólicas e gases até fortes dores abdominais – quando consomem leite e seus derivados (creme de leite, queijo, manteiga, requeijão, iogurtes e outros) – produtos que fazem parte da rotina alimentar de brasileiros de todas as idades e classes sociais.

De acordo com estudos específicos, esse distúrbio afeta, em maior ou menor grau, cerca de 40% da população brasileira. Estima-se ainda que 25% da população europeia sofram com esse tipo de intolerância. Os asiáticos são ainda mais sensíveis – praticamente toda a população adulta apresenta intolerância à lactose.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.