9 tarefas surreais realizadas por guarda-costas de presidentes dos EUA
1.269
Compartilhamentos

9 tarefas surreais realizadas por guarda-costas de presidentes dos EUA

Último Vídeo

Nos cinemas, vemos os guarda-costas do presidente norte-americano se enfiando nas maiores enrascadas para livrar o país de perigosos bandidos. Mas, e na vida real, será que a rotina desses seguranças é sempre tão agitada?

O site Mental Floss elaborou uma lista com as obrigações reais que homens do Serviço Secreto tiveram que cumprir em atendimento à autoridade máxima dos EUA. É cada coisa, viu? Então pega a pipoca e vem se divertir conosco com estas nove tarefas inacreditáveis que os guarda-costas presidenciais já precisaram cumprir:

1. Achados e perdidos

Calvin Coolidge, o 30º presidente dos EUA (entre 1923 e 1929), mandou oito agentes procurarem uma bota perdida! Se fossem brasileiros, com certeza fariam a pergunta: “Onde será que Judas perdeu as botas?”.

2. Cavalinho

Procurar uma bota perdida não foi o único pedido inusitado do Sr. Coolidge. Seu principal hobby era se exercitar em um cavalinho elétrico na Casa Branca – e ele frequentemente chamava o Serviço Secreto para participar da atividade.

Cavalinho elétrico usado por Calvin Coolidge para fazer exercícios

3. Design de interiores

John F. Kennedy, o 35º presidente dos EUA (entre 1961 e 1963), fez com que seus guarda-costas visitassem uma galeria de arte para que eles conseguissem uma coleção emoldurada de fotos do político com diversas mulheres em posições sexuais.

4. Cabaninha

Lyndon B. Johnson, o 36º presidente dos EUA (entre 1963 e 1969), certa vez pediu que seu guarda-costas fizesse uma “cabaninha” para ele poder urinar. Só que o presidente mijou de propósito na perna do agente do Serviço Secreto.

5. Jardinagem

Richard Nixon, o 37º presidente dos EUA (entre 1969 e 1974), pagava US$ 12 mil por ano para que o Serviço Secreto se certificasse de que suas plantinhas eram regadas regularmente.

Boatos dizem que essa foto ilustra o "treinamento" de guarda-costas nos EUA

6. Assumir a culpa

Gerald Ford, o 38º presidente dos EUA (entre 1974 e 1977), costumava culpar seus agentes do Serviço Secretos pelos punzinhos que ele soltava na Casa Branca. E ainda era desaforado! Conta-se que ele ainda reclamava: “Jesus do céu, foi você? Tenha classe!”, dizia ele apontando para algum dos seguranças.

7. Carregador de malas

Jimmy Carter, o 39º presidente dos EUA (entre 1977 e 1981), ordenava que seus agentes carregassem suas malas em viagens. Depois de um tempo, eles reclamaram do servicinho extra alegando que não conseguiriam agir com velocidade caso fosse necessário proteger o presidente.

8. Testa de ferro

Era comum que os presidentes norte-americanos usassem sua influência para obrigar que o Serviço Secreto mantivesse as primeiras-damas longe da capital do país para os políticos poderem aproveitar um pouco a “solteirice”. Foi assim com Franklin Roosevelt (presidente entre 1933 e 1945), Lyndon B. Johnson e John Kennedy. Especula-se que até mesmo Bill Clinton (presidente entre 1993 e 2001) tenha feito a mesma coisa.

Bill Clinton curtiu isso

9. Babá

Barbara e Jenna Bush, as filhas gêmeas de George W. Bush, o 43º presidente dos EUA (entre 2001 e 2009), usaram identidades falsas para curtir uma noitada em Austin, no Texas, quando tinham apenas 19 anos. Elas pediram margueritas, sendo que a lei de lá só permite a venda de bebidas alcoólicas para maiores de 21 anos. Quando o Serviço Secreto se deu conta do que estava acontecendo, agentes precisaram interferir para que as moças não fossem presas.

***

E você achando que seu chefe abusava de você, não é mesmo? Conte aí nos comentários: você já precisou assumir o peido alheio?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.