(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Dos tempos de Adão até os dias de hoje, a maçã é aprovada por quase todo mundo. Afinal de contas, é muito difícil encontrar pessoas que não gostem de uma das frutas mais famosas do mundo — se não for a mais conhecida. E agora o prazer que esse alimento proporciona pode ser estendido. O responsável? Neal Carter.

O cientista canadense (da Okanagan Specialty Fruits, empresa de biotecnologia) desenvolveu dois novos tipos de maçã — chamadas de Arctic Granny e Artic Golds. Essas duas novas espécies não oxidam, mesmo quando expostas ao oxigênio. Isso quer dizer que você pode cortá-las ao meio, esperar por várias semanas e elas não vão ficar marrons e sem sabor.

Essa durabilidade é resultado de engenharia genética, processo esse que anulou os genes responsáveis pela oxidação. De maneira resumida, é possível alegar que essas são frutas transgênicas, mas de uma maneira boa e sem polêmica.

Carter pretende conseguir autorização para vender as suas descobertas ainda este ano, colocando-as no mercado em 2014. Vamos torcer para que isso dê certo, pois — além de ser legal ter maçãs que não estragam — esse pode ser o início de uma era com alimentos mais duráveis e saborosos.

Fonte: DailyMail