213
Compartilhamentos

Entenda por que ser perfeccionista só te faz mal

É normal termos a vontade de que nosso trabalho, seja ele qual for, seja feito com qualidade e maestria, e esse desejo acaba fazendo com que muitos de nós nos tornemos pessoas perfeccionistas – e com muito orgulho, na maioria dos casos.

Mas será que a busca da perfeição é algo saudável? De acordo com uma pesquisa de Thomas Curran e Andrew P. Hill, que fizeram uma análise densa de estudos sobre o tema entre os anos de 1989 e 2016, o perfeccionismo não tem um efeito positivo sobre as pessoas, e não é uma característica da qual deveríamos ter orgulho.

A primeira descoberta feita pelos pesquisadores foi a de que o perfeccionismo é ponto comum entre pessoas que têm alguns tipos de doenças mentais, como depressão, ansiedade social, agorafobia, anorexia, insônia e, inclusive, entre quem apresenta pensamentos suicidas. Só para você ter ideia, o perfeccionismo pode estar por trás, inclusive, do comportamento de crianças com distúrbios alimentares.

Vixe!

perfeccionismo

Um estudo de 2009 revelou que pessoas que buscam ser perfeccionistas são também as que mais têm chances de morrer precocemente em relação às pessoas que não buscam ser perfeitas o tempo todo. Em contrapartida, aquelas mais extrovertidas e otimistas, que não se cobram tanto, são também as que costumam ter uma vida mais longa e com menos pressão.

O perfeccionismo é visto por muitas pessoas como uma característica que ajuda o bom funcionário a se dedicar ainda mais e a ter um bom desempenho profissional, mas esse raciocínio não é muito verdadeiro.

Para trabalhar essa noção, Hill fez um experimento com pessoas perfeccionistas e não perfeccionistas, pedindo para que elas cumprissem um objetivo desconhecido e que, na verdade, era impossível. Todos os voluntários trabalharam, e os que desistiram mais cedo e ficaram mais frustrados foram justamente os perfeccionistas.

Tentar ser perfeito = viver frustrado

jim carrey

Se você pegar uma história de sucesso, qualquer que seja ela, vai perceber que a pessoa que obteve o que queria possivelmente enfrentou alguns percalços e só conseguiu ter êxito justamente por não ter desistido, certo? Isso nos mostra, mais uma vez, o ponto negativo do perfeccionismo, que nos faz querer o melhor possível logo nas primeiras tentativas, quando, na verdade, é a perseverança que nos conduz à realização pessoal.

Se você se considera uma pessoa perfeccionista, sabe muito bem como é que reage diante do que não dá certo e quando surge um novo objetivo, não é mesmo? Possivelmente, seu perfeccionismo não faz de você um melhor funcionário ou um aluno mais dedicado, mas sim uma pessoa mais pressionada, mais ansiosa e talvez até mais frustrada.

Para melhorar a situação, faça exercícios mentais diários e reveja seus conceitos sobre suas rotinas e seus trabalhos. Busque entender que exigir muito de si mesmo é sempre uma cilada, e que todas as pessoas, todas mesmo, falham de vez em quando. A falha não é o problema. O problema é como você reage quando falha.

Se você sentir que a pressão é excessiva e que você não consegue desligar, que não tem dormido ou se alimentado bem, por exemplo, considere procurar ajuda psicológica. Uma boa terapia pode ser a melhor forma de aprender a lidar com essa voz interna que critica seu desempenho a todo o momento e que faz com que você seja uma pessoa cada vez mais exigente e menos realizada.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.