(Fonte da imagem: Reprodução/Thinkstock)

Um novo estudo, apresentado pelo laboratório Mindlab, de Brighton, na Inglaterra, concluiu que um café da manhã caprichado pode reduzir os níveis de stress, além de estimular o desempenho físico e mental.

Os pesquisadores avaliaram um grupo de voluntários que realizou uma série de testes. Na primeira etapa, o grupo passou pelas provas depois de tomar o café da manhã e, na segunda, sem comer nada.

Desempenho nas provas

De acordo com os resultados, em comparação a quando não comeram nada pela manhã, os voluntários que tomaram o desjejum apresentaram níveis de ansiedade 89% mais baixos ao enfrentar situações desafiadoras, além de serem 7% mais rápidos na hora de lidar com esses problemas.

Quando submetidos a testes de gramática e aritmética, 61% dos indivíduos demonstraram um melhor desempenho depois de comer. Outro aspecto que também apresentou bons resultados foi a coordenação motora, com uma queda de 75% no índice de erros. Além disso, muitos participantes afirmaram não conseguir se concentrar por tempo suficiente para solucionar todos os testes quando não se alimentaram antes.

A culpa é da preguiça

Não tomar o café da manhã pode fazer com que as pessoas se sintam letárgicas, estressadas, improdutivas e mal-humoradas. E, por alguma razão, os indivíduos entre 25 e 34 anos de idade são especialmente afetados.

A principal razão de pular o café da manhã seria a preguiça, com 28% dos participantes afirmando que preferem ficar na cama, seguida pela falta de tempo, com 26%. Apenas 5% admitiram ser desorganizados demais para se alimentar corretamente depois de acordar.