(Fonte da imagem: Thinkstock)

Um novo estudo, conduzido por pesquisadores do Monell Chemical Senses Center, nos Estados Unidos, sugere que pessoas mais velhas, de fato, exalam um odor particular. De acordo com o pessoal do Scientific American, o cheiro pode ser facilmente detectado, mas não se trata, necessariamente, de um odor desagradável.

Durante os experimentos, a equipe de pesquisadores dividiu um grupo de 44 participantes em três grupos: um formado por pessoas mais jovens (entre 20 e 30 anos de idade), um segundo composto por indivíduos de meia idade (entre 45 e 55 anos), e um terceiro, com participantes idosos (com idades entre 75 e 95 anos).

Teste de aromas

Os pesquisadores solicitaram que os voluntários evitassem alimentos ricos em especiarias, cigarro, bebidas alcoólicas e usassem produtos de higiene pessoal sem aroma, tudo como forma de não interferir com o cheiro corporal de cada um. Os participantes, então, dormiram durante 5 noites consecutivas vestindo uma camiseta que contava com um material absorvente preso às axilas.

Passado esse período, os pesquisadores removeram o material das camisetas e pediram que um novo grupo de voluntários, composto por homens e mulheres jovens, cheirasse os materiais com os olhos vendados. Os participantes da segunda fase deviam avaliar o aroma como agradável ou não, e se pertencia a uma pessoa mais velha ou mais jovem.

Resultados surpreendentes

Com base nas avaliações, os pesquisadores descobriram que o aroma de pessoas mais velhas foi classificado como sendo menos intenso e desagradável do que o cheiro exalado por pessoas jovens ou de meia idade.

O cheiro corporal mais intenso e desagradável foi atribuído aos homens de meia idade, enquanto que as mulheres dessa mesma faixa etária foram classificadas como as que exalaram o aroma mais agradável. Os idosos do sexo masculino foram classificados como os que apresentavam os cheiros menos intensos.

Além disso, de um modo geral, o aroma mais facilmente identificável foi o das pessoas idosas, sendo, inclusive, reconhecido instantaneamente por alguns dos voluntários. De acordo com os pesquisadores, o estudo prova que, embora os idosos realmente tenham um cheirinho particular, este não é nem melhor ou pior que o aroma exalado por outros grupos etários. Apenas característico.

Fontes: PLoS One e Scientific American