(Fonte da imagem: Thinkstock)

De acordo com o L.A. Times, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Purdue, nos Estados Unidos, sugere que o tipo de molho que usamos para temperar a nossa salada pode torná-la mais nutritiva. E pasmem: os pesquisadores concluíram que as versões light não são as mais saudáveis.

Durante o estudo, os pesquisadores compararam o consumo de saladas com temperos contendo três variedades de gordura — saturada, monoinsaturada e poli-insaturada — em quantidades que variavam entre 3, 8 e 20 gramas dessa substância.

Gordura do bem

Os pesquisadores descobriram que, na verdade, existem determinados tipos de gordura que fazem bem para a saúde, e para que o nosso organismo tire o maior proveito possível de frutas e vegetais, estes devem ser combinados com os temperos mais adequados.

Segundo os resultados, os melhores molhos para as saladas são aqueles ricos em gordura monoinsaturada, ou seja, feitos com azeite de oliva e óleo de canola. Quando frutas e verduras são combinadas a esse tipo de gordura, o nosso organismo é capaz de absorver antioxidantes — como o licopeno e o betacaroteno — de maneira mais eficiente.

Embora as versões light tenham menos calorias do que os temperos ricos em gordura monoinsaturada, você vai precisar de uma quantidade bem menor de azeite de oliva ou óleo de canola para tornar a sua salada muito mais nutritiva. Portanto, no fim das contas, é uma troca que vale a pena experimentar.

Fontes: L.A. Times e Molecular Nutrition & Food Research