(Fonte da imagem: Thinkstock)

De acordo com um artigo publicado pelo pessoal da INFO Online, quando se trata do sucesso profissional, a aparência é um fator bem importante. Segundo a publicação, apesar desse tema não ser nenhuma novidade, o lançamento do livro “O valor da beleza — Por que as pessoas atraentes têm mais sucesso”, de Daniel S. Hamermesh, parece ter reacendido essa polêmica.

Hamermesh, um conceituado economista norte-americano, descobriu em seus estudos que os rapazes bonitões costumam receber salários em média 3% mais altos que os dos demais, e, no caso das mulheres atraentes, a média salarial é 4% mais alta. Além disso, o economista descobriu que os homens considerados feios — pobrezinhos — têm rendimentos até 22% mais baixos do que a média, e, no caso das moças, essa média é de 3%.

Beleza no currículo

Outro aspecto relacionado com a beleza revelado pelas pesquisas de Hamermesh foi o fato da aparência ser mais importante do que a educação. A cada ano de escolaridade, o acréscimo no contracheque chega a ser de 10%, portanto, ter a beleza no currículo equivale a contar com um MBA. E o motivo de tamanha diferença? Provavelmente a autoestima, assim como a autoconfiança e segurança decorrentes dela.

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Pessoas confiantes enfrentam melhor os desafios relacionados às suas carreiras, e a boa aparência também ajuda que os demais prestem mais atenção nos belos. Tanto que uma pesquisa realizada por uma universidade norte-americana revelou que os recrutadores são facilmente distraídos por traços faciais marcantes e presença de cicatrizes. E mais: nos sentimos mais confortáveis na presença de algo visualmente harmonioso, ficando mais propensos a concordar e a ouvir sugestões vindas daqueles que consideramos belos.

Os belos também sofrem

Mas não pense que os mais atraentes não enfrentam dificuldades também. A beleza no mundo profissional funciona como um “extra”, e no fim das contas o que realmente importa é se uma pessoa é ou não competente. Além disso, existe preconceito com relação aos belos, que normalmente são vistos como pessoas superficiais e que só conseguiram conquistar seus espaços graças aos atributos físicos.

De qualquer maneira, embora a beleza não seja um atestado de competência, existe muita gente lançando mão das intervenções cirúrgicas e tratamentos estéticos para corrigir algumas imperfeições, e as opções mais buscadas são a lipoaspiração e as pequenas esticadinhas nos olhos. Tudo para turbinar a autoestima.

Contorne o problema

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Mas e os que não contam com a beleza a seu favor, o que podem fazer para lidar com essa injusta desvantagem? Apelar para o charme e o carisma. Segundo o artigo, nem todas as pessoas de sucesso são belas, mas a maioria delas sabe muito bem como se comportar para envolver e encantar os demais.

Assim, a dica dos profissionais de RH é tentar transmitir uma atitude positiva, simpatia e segurança, e isso qualquer um com um pouquinho de treino consegue fazer. Portanto, apresente-se sempre com um sorriso aberto, um aperto de mão firme e vestido adequadamente, com peças neutras e que não chamem muito a atenção, e sempre enfatize as suas melhores qualidades e habilidades.