X-Men da vida real: homem afirma atrair metais com a força da mente
818
Compartilhamentos

X-Men da vida real: homem afirma atrair metais com a força da mente

Último Vídeo

O que não falta por aí são pessoas que alegam ter superpoderes, e inclusive já publicamos aqui no Mega Curioso uma matéria sobre indivíduos que parecem verdadeiros mutantes da vida real. Pois, de acordo com o Daily Mail, um alemão pode se unir a esse time de super-humanos em breve. Segundo a publicação, trata-se de um homem chamado Miroslaw Magola, e ele diz ter o poder de atrair objetos metálicos com a força da mente.

Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail

Magola conta que começou a exercitar seu poder magnético depois de estudar sobre o fenômeno de energia psíquica quando estava na faculdade. De lá para cá, o alemão dedicou vários anos explorando o magnetismo humano e aperfeiçoando sua técnica, e acredita que pode usar seu poder em benefício da humanidade. Conforme você pode ver no vídeo abaixo, os objetos manipulados pelo “Magneto Germânico” realmente parecem se colar à sua pele:

Será que a pele do homem não é simplesmente ultra grudenta?

Apesar de suas habilidades serem encaradas com muito ceticismo, o alemão afirma que não é o único, e que muitas outras pessoas também têm o mesmo poder de manipular objetos metálicos através da telepatia. E além de ajudar a humanidade com suas habilidades psíquicas, Magola também tem outro objetivo: ele deseja ganhar um prêmio de US$ 1 milhão oferecido pela Fundação James Randi, voltada para estudos paranormais.

Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail

O prêmio pode ser conquistado por qualquer indivíduo que consiga demonstrar ter poderes sobrenaturais, e há cinco décadas ninguém vence o desafio. O Magneto Germânico está se preparando para — além de metais — atrair muito dinheiro para a suas mãos, e pretende fazer isso ao vivo durante um programa de televisão. E você, leitor, o que acha? Acredita que Magola realmente tenha poderes especiais?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.