Jovem cria projeto para retirar os detritos dos oceanos em apenas 5 anos
438
Compartilhamentos

Jovem cria projeto para retirar os detritos dos oceanos em apenas 5 anos

Último Vídeo

Basta ir a qualquer praia para notar que a poluição dos rios e oceanos alcançou níveis inimagináveis. Embalagens, sacolas e muitos outros tipos de plásticos já fazem parte – infelizmente – da paisagem de algumas praias ao redor do mundo.

Pensando em mudar um pouco essa realidade, o estudante holandês Boyan Slat criou um projeto batizado de The Ocean Cleanup que, se viável, pode retirar milhões de toneladas de detritos em apenas 5 anos. O objetivo principal do projeto é desenvolver uma plataforma que recolheria toda a sujeira espalhada nos oceanos sem causar danos à fauna.

O problema

Fonte da imagem: Reprodução/The Ocean Cleanup

O consumo excessivo de plástico e incidentes marinhos – como a ruptura de containers de carregamento em alto-mar – são alguns dos fatores responsáveis pela poluição dos oceanos. Nos estudos conduzidos pelo aluno de engenharia, Boyan Slat concluiu que a maior concentração de detritos está localizada em 5 grandes áreas.

Caso a humanidade não tome nenhuma atitude para reverter essa situação, o risco que corremos é a morte de milhares de espécies aquáticas, além do transporte de substâncias nocivas, o que pode acabar chegando à cadeia alimentar e contaminando a população. Outro ponto importante é que a poluição gera altos custos para o governo e a indústria, que perde a chance de explorar o turismo e precisa constantemente restaurar os danos causados às embarcações.

Controlar o consumo de plástico por parte das pessoas é parte da solução do problema. No entanto, isso não fará com que os detritos já depositados nos oceanos desapareçam. Por esse motivo, limpar as águas é a necessidade mais urgente.

O projeto

Fonte da imagem: Reprodução/The Ocean Cleanup

Reunindo seus conhecimentos de engenharia, meio ambiente e tecnologia, Boyan Slat pode ter encontrado uma saída para esse grande problema ambiental. Depois de fazer alguns testes e recolher detritos do mar, o objetivo do estudante é desenvolver um dispositivo capaz de recolher a sujeira para que ela possa ser trazida à terra e reaproveitada.

Batizada de Ocean Cleanup Array, a máquina teria a forma de uma arraia e seria equipada com barreiras de contenção. De acordo com o site do projeto, as barreiras são mais eficazes do que as redes e oferecem menos riscos à vida marinha.

Para diminuir custos e aumentar a eficiência do dispositivo, o projeto prevê que a plataforma seja autossustentável, funcionando com energia proveniente do sol, das correntes e das ondas. O formato garante o contato constante da máquina com a superfície da água.

O futuro

As pesquisas desenvolvidas pelo estudante – que são explicadas com mais detalhes na palestra que ele deu no TEDx – estimam que teremos 7,25 milhões de toneladas de plástico para recolher dos oceanos em 2020, o que equivale a mil vezes o peso da Torre Eiffel flutuando nas correntes marinhas. Enquanto alguns pesquisadores defendem que seria necessário 79 mil anos para reverter esse problema, Boyan Slat acredita na possibilidade de limpar os oceanos em apenas 5 anos com algumas dessas plataformas funcionando em diferentes partes do mundo.

Se todo o plástico retirado da água fosse vendido, ele poderia render 500 milhões de dólares, o que cobre o valor do projeto e ainda gera lucro. O site do projeto ressalta que a proposta está sendo estudada e ainda é preciso analisar uma série de fatores para garantir que o projeto é executável. Enquanto isso, ficamos na torcida para que essa ideia não morra na praia.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.