Projeto de edifício em Londres pode transformar ar poluído em gás natural
25
Compartilhamentos

Projeto de edifício em Londres pode transformar ar poluído em gás natural

Último Vídeo

Fonte da imagem: Reprodução/Dezeen

Londres é uma das maiores cidades do mundo e, como tal, possui uma grande quantidade de poluição no ar, principalmente por conta do alto número de carros presentes na metrópole.

O arquiteto Chang-Yeob Lee, formado pelo Royal College of Art (Universidade Real de Artes, em tradução literal) criou um projeto conceitual com uma solução bastante diferente para esse problema urbano.

O conceito, batizado de "Synth[e]tech[e]cology", é caracterizado por um agrupamento de cabos que se entrelaçam no topo em edifícios mais altos e purificam o ar, além de produzirem gás natural no decorrer do processo. Como exemplo, Lee escolheu o BT Tower, um dos maiores arranha-céus de Londres.

Nas artes conceituais da proposta, fibras de carbono e um irregular aparelhamento de aço abraçam todo topo do edifício. Por conta do formato bizarro, o projeto é chamado por muitos de "teia de aranha", já que o topo do prédio fica inteiramente encoberto pelas estruturas.

Teia de aranha sustentável

Para funcionar corretamente, o "Synth[e]tech[e]cology" tem que ser aplicado em construções altas. As estruturas de aço coletam as fuligens e outras partículas pequenas presentes no ar da cidade, assim como o dióxido de carbono. O equipamento também contém nanotubos de dióxido de titânio que são capazes de transformar o dióxido de carbono em gás natural através da utilização de água e exposição à luz solar. O sistema imaginado por Lee também pode produzir metanol no processo; cerca de toneladas por ano.

Fonte da imagem: Reprodução/Dezeen

O projeto, se sair do papel algum dia, pode ser aplicado em outras edifícios pelo mundo. Lee disse que muitos prédios altos não possuem qualquer utilidade especial e podem ser melhor utilizados. "A poluição pode gerar outra economia", frisou o estudante recém-graduado. Outras propostas semelhantes já foram criadas em Chicago e na Cidade do México, porém com estruturas mais modestas e sem todas as funções que Lee imaginou. 

Se o projeto "Synth[e]tech[e]cology" pode virar realidade ou não, nós não sabemos dizer; mas ele é mais uma das interessantes propostas  de sustentabilidade que podem transformar nosso futuro. 

Via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.