Mais 5 teorias sobre o sumiço do voo da Malaysia Airlines
520
Compartilhamentos

Mais 5 teorias sobre o sumiço do voo da Malaysia Airlines

Último Vídeo

Como você sabe, o mundo inteiro está acompanhando as investigações sobre o desaparecimento do avião da Malaysia Airlines e, apesar de já terem se passado mais de dez dias, ninguém sabe dizer o que realmente aconteceu. Contudo, em uma era na qual todos os nossos passos são vigiados e temos os céus cobertos por radares e satélites, o sumiço de um Boeing 777-200 com 239 pessoas a bordo parece algo inconcebível.

Segundo o governo malaio, a aeronave foi intencionalmente desviada de sua rota e pode ter tomado a direção norte ou sul de sua última localização conhecida, ou seja, quando voava sobre o Estreito de Malacca. Além disso, satélites registraram sinais emitidos pelo avião, sugerindo que ele continuava operativo entre cinco e seis horas após o último avistamento realizado através de radares militares.

Na falta de respostas concretas, muitas teorias surgiram para explicar o intrigante desaparecimento da aeronave, e inclusive mencionamos algumas delas aqui no Mega Curioso. Mas, com o passar do tempo, mais cenários foram sendo considerados, e a BBC reuniu em um interessante artigo uma lista de hipóteses apresentadas por pilotos, militares e especialistas na área da aviação, das quais você pode conferir cinco a seguir:

1 – Pouso nas Ilhas Andaman

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Uma teoria que ganhou força nos últimos dias é a de que o avião foi sequestrado e teria pousado em algum lugar desconhecido. Pois parece que em determinado ponto da viagem, o Boeing estaria voando em direção a um arquipélago que faz parte do território indiano composto por mais de 570 ilhas, das quais mais de 30 são inabitadas. Mas, apesar de este ser o cenário ideal para esconder um avião “roubado”, o pouso em uma ilha seria extremamente difícil.

Segundo um piloto consultado, o comandante teria que encontrar uma faixa de areia com ao menos 1.500 metros de extensão. Além disso, com um avião tão pesado, os pneus do trem de pouso provavelmente se enterrariam na areia, arrancando parte da fuselagem. Já uma manobra sem esse dispositivo aumentaria significativamente o risco de que as asas — que armazenam o combustível — fossem danificadas na queda, impossibilitando uma nova decolagem.

2 – Corredor norte – sul

Fonte da imagem: Reprodução/BBC

Caso o avião tenha seguido para o sul da última posição conhecida, essa trajetória conduz a uma vasta área aberta do Oceano Índico e, se a aeronave não caiu nesse enorme espaço, ela pode ter seguido para uma região despovoada do interior da Austrália. Essa alternativa é apontada por alguns especialistas como possível quando consideramos uma aeronave que voou por tanto tempo sem ser detectada por nenhum radar.

Por outro lado, se o Boeing seguiu para a direção norte, uma das possibilidades é que ele tenha pousado em alguma área desértica do Cazaquistão. Aliás, segundo uma especialista consultada, esta alternativa é mais plausível do que a do pouso em uma praia deserta (veja o item 1). O problema é que a aeronave teria sido detectada pelos radares cazaques e, segundo um pronunciamento do Comitê de Aviação Civil do país, isso não aconteceu.

E mais: antes de pousar no Cazaquistão, o Boeing da Malaysia teria que ter atravessado o espaço aéreo da Índia, Paquistão e Afeganistão, e nenhum radar detectou sua presença. Além disso, a teoria levantada de que a aeronave teria pousado no Paquistão também é questionada, pois, além de ter um dos espaços aéreos mais vigiados do mundo, as regiões mais remotas do país são constantemente monitoradas por satélites e drones.

3 – Separatistas chineses

Deserto do Taklamakan, República da China Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Das 239 pessoas a bordo do voo MH370, 153 eram chinesas. Essa informação levou alguns a especular que separatistas islâmicos da etnia uigur poderiam ter algo a ver com o sumiço da aeronave. Integrantes do grupo teriam forçado o piloto a pousar no deserto do Taklamakan, um dos maiores desertos de areia do mundo. Entretanto, mais uma vez, para ter chegado até essa região, o avião teria que ter passado despercebido pelos radares de diversos países.

4 – Camuflagem

Fonte da imagem: Reprodução/BBC

Outra hipótese levantada foi a de que o voo MH370 teria ficado camuflado sob a “sombra” do radar de outra aeronave. Quando desapareceu, um avião da Singapore Airlines se encontrava na mesma vizinhança que o da Malaysia e seguia para a Espanha. Uma análise da rota — feita por um blog de aviação — apontou que a aeronave malaia teria realizado uma manobra e ficado logo atrás do outro avião, tornando-se invisível para os controladores em terra.

Além disso, ao ter o transponder desligado, o avião da Malaysia poderia ter voado nessa situação sem ser detectado, atravessando o espaço aéreo de vários países sob a sombra da outra aeronave. Assim, os radares detectariam apenas o avião da Singapore, enquanto que o voo MH370 desviaria sua rota em determinado ponto da viagem, pousando em algum lugar remoto do planeta.

5 – Reaproveitamento

Ataque terrorista de 11 de setembro às Torres Gêmeas Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Mais uma teoria circulando por aí é a de que um grupo terrorista roubou o avião para utilizá-lo em um ataque ao estilo do que ocorreu contra o World Trade Center em 11 de setembro. Assim, a aeronave estaria escondida e camuflada em algum lugar, esperando para ser reabastecida e equipada com um novo transponder antes de ser direcionada a uma cidade qualquer.

Nesse sentido, segundo um ex-piloto da Força Aérea Britânica, apesar de não ser impossível, seria muito difícil pousar um avião, escondê-lo e depois decolar com ele novamente sem que ninguém descubra. Isso sem falar que não existe a segurança de que outro transponder daria à aeronave uma “identidade” completamente nova.  No entanto, nesta altura do campeonato nenhuma hipótese, por mais absurda que pareça, pode ser completamente descartada.

***

É claro que existem muitas outras hipóteses sobre o que pode ter acontecido com a aeronave da Malaysia Airlines — como a despressurização proposital para matar todos a bordo, suicídio, luta entre tripulação e possíveis sequestradores, desintegração do avião etc. —, e até que ela seja encontrada, muitas outras vão surgir. E falando nisso, caro leitor, qual é a sua teoria sobre o desaparecimento do que se tornou o objeto mais buscado do mundo?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.