Sabia que no passado a cerveja era considerada um tônico para a saúde?
366
Compartilhamentos

Sabia que no passado a cerveja era considerada um tônico para a saúde?

Último Vídeo

Aqui no Mega Curioso, já publicamos incontáveis matérias sobre a cerveja, incluindo notícias sobre pesquisas científicas que comprovam alguns benefícios que essa bebida oferece para a saúde. No entanto, apesar de esses estudos serem relativamente recentes, a fama da cerveja como elixir milagroso é pra lá de antiga. Ou você vai dizer que nunca ouviu falar que a cerveja faz bem para quem está amamentando?

Pois no passado, a cerveja era considerada um tônico vital para a saúde, e seu consumo inclusive era recomendado para gestantes, lactantes e até mesmo crianças. Segundo se acreditava, a bebida era um ótimo fortificante e tinha propriedades capazes de curar a anemia. E mais: no final do século 19 e início do 20, diversas campanhas publicitárias chegaram a se apoiar nessas crenças para comercializar o produto.

Com isso em mente, Renan Suchmacher — um dos nossos dedicados leitores — nos enviou uma série de informações bem interessantes sobre o passado “medicinal” da cerveja, e inclusive conversou com a nutricionista Mônica Maia, da Oncoclínica (localizada no Rio de Janeiro), que esclareceu de onde é que tiraram essa ideia de receitar a bebida como tônico para mamães que estão amamentando e para curar criancinhas anêmicas.

A ciência por trás da crença

Segundo Mônica, a ideia de receitar a cerveja como “remédio” não surgiu em nenhuma mesa de bar, e inclusive tem embasamento científico. O levedo da bebida é rico em vitaminas do complexo B, que são compostos importantes para prevenir e tratar casos de anemia. Essa disfunção afeta a capacidade do sangue de transportar oxigênio para os tecidos, e alguns dos sintomas mais comuns nos casos mais leves são fraqueza, cansaço, tontura, palidez e falta de apetite.

Além disso, como a cerveja é rica em calorias, seu consumo era recomendado para aumentar a produção de leite de lactantes, assim como para crianças em fase de crescimento, já que nas duas situações o consumo de energia pelo organismo é bastante alto.

Mas...

Contudo, de acordo com a nutricionista, hoje se sabe que em vez de a cerveja “curar” a anemia, ela provoca uma piora no quadro. Conforme explicou, o álcool presente na bebida aumenta a demanda de vitaminas do complexo B pelo fígado, provocando uma redução na disponibilidade desses compostos para o resto do organismo.

Para piorar, ao contrário do que se acreditava, o álcool da cerveja prejudica o sistema imunológico, interfere na absorção de vitaminas e minerais pelo organismo e, consequentemente, afeta o desenvolvimento estatural e psicomotor das crianças. Assim, a verdade é que atualmente os médicos contraindicam o consumo de cerveja como fortificante para a molecada ou para aumentar o leite de mulheres que estão amamentando.

***

Nós aqui do Mega Curioso gostaríamos de agradecer — enormemente — ao leitor Renan Suchmacher e à nutricionista Mônica Maia, da Oncoclínica, pela participação, sugestão de pauta e esclarecimentos enviados à nossa equipe de redação.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.