Sinistro: píton e cobra-real são descobertas enroscadas em um abraço mortal
710
Compartilhamentos

Sinistro: píton e cobra-real são descobertas enroscadas em um abraço mortal

Último Vídeo

Você deu uma boa olhada nas cobras da foto? Só para o seu conhecimento, elas foram encontradas desse jeito, enroscadas em um abraço — e ambas estão mortas. E o que foi que aconteceu com a dupla? Bem, até agora ninguém que tenha presenciado o embate veio a público para dizer o que, exatamente, aconteceu, mas alguns especialistas que examinaram a cena improvisaram uma “reconstituição” do sucedido. Veja novamente:

Cobras enroladas e abraço (Facebook/Reptile Hunter)

A imagem acima, só para esclarecer, mostra uma cobra-real (Ophiophagus hannah) imensa esticada e com as presas cravadas em uma píton-reticulada (Python reticulatus) que morreu envenenada — mas, antes de sucumbir à toxina, ela se enrolou na oponente e a asfixiou até a morte. Entendeu?

Reconstituição

De acordo com Nadia Drake, da National Geographic, a imagem foi compartilhada no Facebook recentemente pelo pessoal do “Reptile Hunter” e, segundo a discussão que estava rolando por lá, o embate mortal possivelmente aconteceu em algum lugar do sudeste asiático. E como é que a galera chegou a essa conclusão? Porque as cobras entrelaçadas são nativas dessa região.

Cobra real(Wikimedia Commons/Hectonichus)

Com relação ao que pode ter acontecido, especialistas que viram a foto — entre eles, Coleman Sheehy, Museu de História Natural da Flórida, e Frank Burbrink, do Museu Americano de História Natural — acreditam que abraço mortal se deu depois de a cobra-real atacar a píton-reticulada.

Segundo os especialistas, as cobras-reais são as serpentes venenosas mais longas do mundo — podendo medir por volta de 5,5 metros de comprimento — e estão acostumadas a devorar outras cobras. Esses répteis normalmente atacam suas vítimas na cabeça, injetando uma toxina que, em pouco tempo, afeta o sistema central e paralisa sua presa.

Já as pítons-reticuladas — que também estão entre as mais longas do planeta e podem chegar a medir mais de 9 metros de comprimento — não são venenosas, mas matam suas vítimas por estrangulamento enrolando seus corpos musculosos ao redor das coitadas.

Píton reticulada(Wikimedia Commons/Mariluna)

Sendo assim, o que provavelmente ocorreu foi que a cobra-real viu a píton dando sopa, pensou “hum... que delícia...”, chegou de mansinho, deu uma dentada próximo à sua cabeça e não contou que a outra rapidamente se enroscaria em seu corpo e a mataria. Só que a coitada da píton, apesar de ter se defendido e acabado com a oponente, não resistiu ao efeito do veneno e morreu também.

Vale destacar que a possibilidade de que o encontro tenha sido promovido por humanos sádicos — que pensaram “o que aconteceria se...” — não foi completamente descartada, uma vez que as cobras-reais são mantidas  como animais de estimação por algumas pessoas e também por causa da aparência do local onde o embate se deu. Mas os especialistas explicaram que esse tipo de ataque pode acontecer na natureza, embora não existam levantamentos sobre a frequência com a qual eles ocorrem.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.